1 evento ao vivo

Facebook deve lançar caixa de som inteligente semana que vem

Segundo site americano, dispositivo deverá usar assistente virtual da Amazon em novo dispositivo; rede social não confirma lançamento

21 set 2018
15h41
  • separator
  • 0
  • comentários

O lançamento de produtos com assistente pessoal virtual está em alta. Depois de a Amazon anunciar 12 novos dispositivos conectados, semana que vem deve ser a vez de o Facebook lançar o Portal, sua caixa de som inteligente.

Segundo o site americano de tecnologia Cheddar, o dispositivo é parecido com o Echo Show da Amazon e terá dois tamanhos disponíveis, ambos munidos de tela. O site diz que, para funcionar, o Portal terá integração com a assistente de voz Alexa o que permitirá que usuários reproduzam músicas, assistam a vídeos, acompanhem receitas e leiam resumos de notícias.

Ainda não há expectativa de data para que o dispositivo esteja à venda nas lojas, mas espera-se que a versão maior custe US$ 400 quanto o de tela menor US$ 300. Por enquanto, testes estão sendo feitos pelos funcionários da rede social, que já teriam um modelo do dispositivo em suas casas. O Facebook disse que não confirma rumores.

Nova data. Segundo a reportagem do Cheddar, inicialmente o Portal seria lançado em maio, durante o F8 -- conferência anual de desenvolvedores da empresa. O lançamento foi adiado poucas semanas antes depois que veio à tona o escândalo de privacidade envolvendo Facebook e a empresa de consultoria política Cambridge Analytica.

Com o novo prazo, engenheiros do Facebook tiveram tempo de rever e criar algumas funcionalidades da caixa de som inteligente. É o caso do obturador que cobre a câmera do dispositivo quando não detecta um usuário próximo. Para isso, os engenheiros teriam se munido de algoritmos de inteligência artificial que reconhecem e "seguem" pessoas à medida que elas se movem no ambiente.

O Portal deve ser mais uma aposta do Facebook na venda de hardware. Em 2014, a rede social comprou a fábrica de óculos de realidade virtual Oculus por US$ 2 bilhões. Antes disso, a empresa de Mark Zuckerberg ensaiou criar um software para smartphones da HTC, em 2013, mas desistiu da ideia.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade