1 evento ao vivo

Facebook anuncia mudanças nas políticas de anúncios

A medida promete dar explicações ao usuário de por que ele está vendo aquele anúncio em sua página; será necessário um consentimento do usuário para direcionar a publicidade

14 jun 2018
05h34
  • separator
  • comentários

Na tentativa de evitar mais um escândalo relacionado à privacidade, a rede social Facebook anunciou nesta terça-feira, 13, uma mudança que promete ser um canal de transparência entre os anunciantes e os usuários da plataforma, para o usuário entender por que está vendo aquele anúncio em sua página. Segundo a rede social, os anunciantes terão que especificar a origem da informação que permitiu o direcionamento da publicidade a determinado usuário.

Na nova regra, que será implementada no dia 2 de julho, os anunciantes vão precisar de um consentimento do usuário para direcionar a publicidade com base em dados como e-mail e número de telefone.

Uma aba com a pergunta "por que estou vendo isso?", perto do anúncio, mostrará ao usuário as fontes das informações responsáveis pela segmentação — se foi o anunciante ou um parceiro que conseguiu os dados, e se o dado usado foi o número de telefone ou o e-mail.

Escândalo. O presidente executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, está na mira de parlamentares devido a fiascos recentes causados pelo uso indevido de dados. Agora, Zuckerberg tenta mostrar ao mundo que a empresa está focada em mudar suas políticas de proteção de dados. O executivo da rede social foi convocado a depor no Senado e na Câmara dos Deputados dos Estados em abril, depois que veio à tona o escândalo do Cambridge Analytica, em que dados de 84 milhões de usuários foram usados indevidamente.

Na semana passada, Zuckerberg enfrentou uma nova pressão por explicações, depois que o The New York Times publicou que a rede social compartilhava informações com ao menos 60 fabricantes de aparelhos tecnológicos. Dias depois, o próprio Facebook divulgou que uma falha no software da plataforma fez com que publicações de alguns usuários da rede que estavam assinaladas para serem privadas ou compartilhadas apenas com amigos, foram publicadas de modo público. A empresa disse que 14 milhões de usuários compartilharam informações pessoais com as pessoas sem saber durante dez dias em maio.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade