1 evento ao vivo

Exércitos de fãs estão perseguindo gays e trans no TikTok

Vídeos de reação a criadores de conteúdos LGBTQ+ acabam propagando onda de preconceito pela rede social

17 set 2020
07h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Chris é conhecido por fazer vídeos em que reage a outras publicações no TikTok 
Chris é conhecido por fazer vídeos em que reage a outras publicações no TikTok
Foto: The New York Times/Reprodução / Estadão

Chris sorri largamente enquanto um vídeo de Miso Chan, uma jovem criadora de conteúdo digital transgênero de cabelo rosa, passa ao lado dele. Uma música com a letra "Now I know what's real and what is fake," (Agora eu sei o que é real e o que é falso, em tradução livre) é reproduzida ao fundo. Em seguida, Miso Chan arranca sua peruca, puxa lenços de sua camiseta e é revelado como um homem. A expressão do rosto de Chris muda completamente, seus olhos estão arregalados.

O vídeo foi visto mais de 1,7 milhão de vezes — e sua seção de comentários está repleta de comentários cruéis."É por isso que tenho dificuldade em confiar nas pessoas hoje em dia", respondeu uma pessoa. "Imagine o que os pais pensaram", disse outro.

Chris, que tem 17 anos e é conhecido como @Donelij no mundo online, conquistou uma enorme audiência no TikTok. Antes de sua conta ser banida na terça-feira, ele acumulou mais de 2,5 milhões de seguidores. Outra de suas contas tinha mais de 2,2 milhões de seguidores, mas, na tarde de sexta-feira, as duas contas de TikTok de backup de Chris também foram banidas. ("Esta conta foi banida devido a várias violações das diretrizes da comunidade", dizia um banner no topo da conta.)

"É estressante", disse ele por telefone. "Foi assim que consegui meu dinheiro." A conta de Chris é conhecida na comunidade TikTok como uma conta de reação, uma conta em que alguém cria vídeos de reação que aparecem ao lado de outros TikToks. Os canais de reação e comentários do TikTok são um nicho em crescimento na plataforma e vêm decolando nos últimos meses. Eles também se tornaram bastante populares em outras plataformas de vídeo nos últimos anos, como o YouTube.

Quase todos os vídeos de Chris seguem o mesmo formato: um vídeo passa à sua direita, ele sorri, às vezes dá um joinha, então algo acontece no vídeo e seu sorriso desaparece. A maioria dos vídeos de Chris são reações a momentos anódinos. Em uma, seu sorriso desaparece quando um homem bate um tijolo de tofu na própria cara; em outro é quando as baratas aparecem na tela.

Alguns de seus vídeos, no entanto, apresentam reações a criadores de conteúdo LGBTQ+. Ele fica com uma expressão de choque quando homens colocam saias, quando um homem chupa um canudo ou quando as pessoas trans revelam transformações ao longo do tempo.

Mesmo que ele nunca diga uma palavra, milhares de pessoas criticam os vídeos por serem homofóbicos. Jovens gays e trans TikTokers que foram apresentados nas reações de Chris relatam que sofreram perseguição cruel por meio de comentários e por mensagens. Alguns apagaram suas contas. Chris disse que não tinha más intenções com seus vídeos e disse, antes de suas contas serem banidas, que iria parar de reagir a vídeos com pessoas da comunidade LGBTQ.

"Quero que as pessoas saibam que não sou homofóbico nem transfóbico", disse ele. "As expressões faciais que faço nos meus vídeos são piadas. Eu mesmo não os considerava ofensivos, mas consigo perceber como as pessoas os receberam assim e não quero que se sintam dessa maneira. "

Vítimas dizem que assédio nunca vai embora

Rob Anderson, 32 anos, um criador de conteúdo no TikTok que é gay, acabou na mira depois de chamar a atenção para os vídeos de Chris em um vídeo de sua autoria. Imediatamente após a postagem, Anderson foi inundado com uma série de insultos, ameaças de morte e ameaças à sua família.

"É uma forma cruel, intensa e implacável de assédio e é interminável", disse Anderson. "Essas pessoas entram em todas as suas mídias sociais, encontram qualquer informação a respeito de você — eles enviaram insultos gays para o meu agente. Não para, não desaparece um dia e vai embora. "

Qualquer usuário que se manifeste contra o conteúdo de Chris inevitavelmente recebe uma onda de ameaças e assédio. Depois que Toby Phillips, 20 anos, postou um vídeo no estilo "O Ministério da Saúde adverte" dos anos 90 pedindo a Chris que assumisse a responsabilidade pelo comportamento de seus fãs, ele também sofreu por isso. Phillips foi recebido com ameaças de morte e tentativas de doxxing (prática em que dados privados de uma pessoa são divulgados na web).

À medida que a polêmica começava na quinta-feira, criadores de conteúdo populares começaram a se posicionar a respeito, incluindo os filhos de vários políticos e celebridades.

Outros conhecidos criadores do TikTok começaram a ameaçar os criadores LGBTQ por se manifestarem. Em uma live no Instagram na noite de quinta-feira, Freek Da Gemini, um criador do TikTok de 21 anos com mais de 750 mil seguidores, fez ameaças a um jovem de 17 anos usando uma série de insultos homofóbicos. "Estou dizendo coisas ofensivas, sim, eu disse insultos", disse ele em sua transmissão ao vivo, acrescentando que o jovem poderia esperar ter "sangue vazando de sua cabeça" se o encontrasse pessoalmente.

Os fãs de Chris dizem que as críticas ao conteúdo dele são exageradas. "Esta deve ser a pior demonstração da cultura do cancelamento que eu já vi", disse um comentarista dramático do YouTube conhecido como Relex em um vídeo na quinta-feira. "Ele está sendo cancelado pelas expressões faciais que faz em seus vídeos. Como vocês estão se ofendendo com alguém que nem fala? "

Muitos encheram as seções de comentários dos criadores LGBTQ+ com o emoji de floco de neve (geralmente usado em referência às pessoas que se magoam facilmente, em alusão ao fato de que flocos de neve têm estrutura delicada e se desfazem sob pressão).

Chris disse que também sofreu assédio e ataques raivosos em relação ao seu conteúdo criado no aplicativo. "Usam termos depreciativos para se referir a mim, como macaco, em minhas mensagens diretas, pessoas estão dizendo que vão me matar quando me encontrarem", disse ele. Muitos TikTokers incentivaram seus fãs a inundar as seções de comentários de Chris com mensagens abusivas, outros atacaram pessoas de sua família e tentaram expulsá-lo da escola.

Ele também disse que estava frustrado com o comportamento de seus fãs. Ele disse que falou várias vezes em sua conta do TikTok pedindo às pessoas que parassem de fazer comentários homofóbicos, mas que, no fim das contas, não consegue controlar os milhões de pessoas que o seguem e que eles interpretam seus apelos para "espalhar positividade" como uma instrução dissimulada para o ataque.

"Uma porcentagem dos meus seguidores são trolls e eu sinto que eles fazem isso porque gostam de sentir a adrenalina pela internet", disse ele. "Vou continuar tentando fazer com que meus fãs mudem seus hábitos. Estou tentando o meu melhor para que meus fãs parem de fazer o que estão fazendo. "

Muitas pessoas da comunidade LGBTQ+ respondem que, quer Chris pretendesse ou não, ele construiu um público de seguidores homofóbicos postando conteúdo homofóbico e agora é sua responsabilidade gerenciar esse público.

"Eles dizem que Chris não é responsável por seus seguidores", disse Anderson. "A isso eu digo: claro que ele é. Ele cultivou este grupo de pessoas com este conteúdo. As pessoas que o seguem são aquelas que gostam do conteúdo que ele está postando e seu conteúdo é claramente antigay e homofóbico. Se você tem muitos seguidores, é sua responsabilidade garantir que as pessoas não se machuquem com o que você publica." / TRADUÇÃO DE ROMINA CÁCIA

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade