7 eventos ao vivo

Emoji do chimarrão é aprovado e argentinos comemoram

Por trás do emoji que deve chegar aos celulares neste segundo semestre, há um documento de 40 páginas feito por um grupo de argentinos dedicado à causa

8 fev 2019
05h12
  • separator
  • 0
  • comentários

Na última terça-feira, 5, o Unicode Consortium revelou a lista dos 230 novos emojis que chegarão aos teclados em 2019. Enquanto a internet fazia piadas sobre o emoji da mão indicando que alguma coisa é pequena, a jornalista argentina Florencia Coelho teve de se segurar para não gritar, no meio de uma aula na Universidade Stanford, na Califórnia, nos Estados Unidos. Ela queria muito comemorar uma conquista, pela qual ela trabalha exaustivamente desde julho de 2018: o emoji do mate (ou chimarrão, como é chamado aqui no Brasil) foi um dos selecionados para compor as figurinhas dos teclados dos smartphones.

A jornalista decidiu encarar o processo para emplacar um emoji porque não se conformava com falta da figura do mate no teclado. Afinal , é uma bebida tradicional não só na Argentina, mas também no no Uruguai, Paraguai, Chile e na região Sul do Brasil. Para Florencia, o mate é mais que uma bebida: ele faz parte do dia a dia, une as pessoas ao seu redor e simboliza encontros.

Para preencher o seu vazio, ela buscou ajuda de jornalistas e programadores argentinos para tocar o projeto formal de levar o chimarrão aos celulares das pessoas. Nesses últimos sete meses, a equipe trabalhou muito, fez duas viagens para pesquisas e elaborou um documento de 40 páginas para enviar ao Unicode Consortium - a entidade responsável pela padronização dos emojis e que exige uma série de etapas burocráticas para aceitar um novo símbolo.

Os argentinos não estavam preparados para receber a notícia - o Unicode Consortium tinha dito que revelaria a lista somente no dia 5 de março. "Tivemos que comemorar por WhatsApp, porque a equipe está toda espalhada pelo mundo, só dois de nós estão na Argentina este mês", contou Florencia, em entrevista ao Estado.

Olhando para trás, a jornalista não se arrepende de ter dedicado tempo a esta causa. "Aprendi muito, descobri, por exemplo, que os países tomam diferentes tipos de mate e também que a Síria é o primeiro importador de mate da Argentina", disse. Mas o trabalho foi exaustivo. "Agora, pensamos em tentar fazer o emoji do alfajor. Começamos um pouco, mas não seguimos. Estamos muito cansados".

Ainda não há uma data exata para os novos emojis chegarem aos teclados dos smartphones - a previsão dada pelo Unicode Consortium é de que as figuras sejam lançadas no segundo semestre deste ano. "Já sabemos que o emoji vai estar nos teclados, então agora vamos ter que dominar a ansiedade", diz Florencia, dosando a excitação com goles da bebida. "Quando usarmos nos teclados, vai ser outro dia de euforia" - e quem sabe, a oportunidade para celebrar em mais uma roda de chim... quer dizer, mate.

*É estagiária, sob supervisão do editor Bruno Capelas

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade