0

Dúvida sobre futuro da Tesla faz ações da empresa caírem 5% nesta quinta

Investidores ainda não têm certeza se o tuíte de Elon Musk sobre tirar a fabricante de carros elétricos da Nasdaq era real ou uma brincadeira

9 ago 2018
18h44
atualizado em 10/8/2018 às 16h08
  • separator
  • comentários

As dúvidas sobre a saída da fabricante de carros elétricos Tesla da bolsa de valores de Nova York fizeram as ações da companhia caírem 4,8% nesta quinta-feira, 9. A desconfiança está relacionada ao fato de o presidente da empresa, Elon Musk, não ter confirmado se a empresa realmente pretende fechar seu capital.

As ações da Tesla fecharam o dia sendo negociadas a US$ 352,45, valor bem abaixo do estimado por Musk para o fechamento de capital. Na terça-feira, 7, o executivo disse que tiraria a empresa da bolsa de valores se as ações atingissem a meta de US$ 420. Para isso, Musk disse que já tinha fechado com um fundo de investimento que o ajudaria na transação de compra de ações.

Desde então, Musk não mostrou mais evidências que respaldassem sua declaração, nem a Tesla divulgou alguma informação oficial. Instituições financeiras próximas à empresa e ao executivo também negaram que estejam em negociação com a fabricante.

O caso se agravou na quarta à noite quando o Wall Street Journal publicou que a Securities and Exchange Commission (SEC), órgão fiscalizador americano, estava investigando o assunto. Os reguladores perguntaram à empresa se o que Musk publicou em sua conta no Twitter era real e porque ele não divulgou isso por meio de uma plataforma oficial. Nem a SEC nem a Tesla quiseram comentar.

A falta de definição impactou diretamente o mercado. "O que os investidores estão esperando é mais detalhes sobre o que significa quando Elon Musk diz que o financiamento está garantido", disse George Galliers, analista da Evercore ISI, à agência de notícias Bloomberg. "Eles estão levantando muitas questões sensatas sobre quem estaria fornecendo o financiamento e como isso poderia funcionar."

Fazer a Tesla deixar o mercado aberto não é uma ideia nova de Musk. Em novembro, em uma entrevista publicada pela revista Rolling Stone, o executivo disse que gostaria que a empresa saísse da bolsa porque isso a tornaria mais eficiente. Na época, Musk também não explicou como nem quando faria isso.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade