0

Como aprender algo novo na quarentena com aulas online gratuitas

De coisas práticas dentro de casa até aulas de filosofia, diversos sites permitem que você amplie seus conhecimentos com o tempo livre que tem trancado em casa

26 set 2020
05h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Tem um tempo sobrando em casa? Quer manter o cérebro ocupado pensando em coisas novas? Então pense em fazer algum curso remoto por conta própria. Afinal, como todo mundo sabe, Benjamin Franklin reservava uma ou duas horas por dia para estudar, refletir e fazer experimentos, de modo que pudesse preencher as lacunas de sua educação. Com isso, ele acabou trilhando várias carreiras de sucesso - da política à ciência, passando pela escrita.

Centenas das principais faculdades e universidades oferecem cursos online para qualquer pessoa com conexão à internet. Embora você não ganhe créditos acadêmicos por fazer aulas gratuitas, você expande seu conhecimento - e pode até mesmo mostrar um pouco de solidariedade enquanto seus filhos encaram a escola. Aqui está um guia para você começar.

Trace um plano

Primeiro, pergunte a si mesmo que assunto quer estudar e como isto pode beneficiá-lo. Você está pensando em mudar de carreira? Em adquirir novas habilidades? Ou você só está atrás de uma distração em tempos difíceis? Anote seu objetivo final para que sua pesquisa tenha foco, já que há aulas disponíveis numa ampla gama de disciplinas acadêmicas.

Gostaria de uma educação à la Ivy League? Você pode se inscrever, entre outros, no Interpretação Constitucional da Universidade de Princeton, num curso de história afro-americana da Universidade de Yale ou numa disciplina introdutória de ciência da computação da Universidade de Harvard.

Estudar online significa que você pode assistir às aulas de qualquer lugar, então é possível procurar cursos no mundo inteiro, como uma disciplina de gerenciamento de projetos na Universidade Aberta da Grã-Bretanha ou um curso chamado A Ciência da Cerveja na Universidade de Wageningen na Holanda. Saúde!

Encontre um curso

Muitas instituições oferecem aulas na forma de cursos online abertos em massa, também conhecidos como MOOCs. A maioria deles ocorre em seu navegador da web e incluem palestras gravadas, leituras, questões de estudo e fóruns de discussão.

Algumas instituições, como o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), são bem generosas. O MIT oferece gratuitamente o conteúdo da maioria de seus cursos no campus em seu site OpenCourseWare.

Para ver o que está disponível em várias escolas, experimente o Class Central, um mecanismo de pesquisa para cursos online. Você também pode navegar pelo site Open Culture, que lista mais de 1.500 cursos de instituições credenciadas e hospedados em plataformas educacionais como Coursera, edX e FutureLearn; essas plataformas têm muitas aulas por assinatura ou mediante pagamento de taxas.

É só clicar no botão para se inscrever. Se você estiver no plano "gratuito", vai participar apenas como ouvinte. No entanto, se você pagar uma taxa, muitas vezes pode receber avaliações de trabalhos - ou um "certificado de conclusão" por valores que normalmente começam em torno de US$ 50.

Ao considerar um curso online aberto, você pode verificar o programa, o instrutor e outras informações
Ao considerar um curso online aberto, você pode verificar o programa, o instrutor e outras informações
Foto: Coursera/Reprodução/The New York Times / Estadão

Outras fontes para cursos

Se você ainda não está pronto para uma aula de nível universitário ou quer complementar o aprendizado de seu filho, a Khan Academy, uma organização sem fins lucrativos, oferece aulas destinadas a alunos do jardim de infância até o fim do ensino médio. Na Khan Academy você encontra aulas de matemática, ciências, economia e humanidades, além de cursos de informática criativos, como o "Pixar in a Box", uma visão geral sobre o processo de animação digital.

O serviço iTunes U da Apple oferece palestras gratuitas em áudio e vídeo de escolas de todo o mundo, embora a empresa tenha anunciado planos para descontinuar a plataforma no fim de 2021.

Prepare-se para as aulas

Uma hora por dia de estudo é uma meta sensata, mas, ao pensar em fazer um curso, verifique sua duração específica e quanto tempo você precisará dedicar aos estudos, para que você possa planejar com mais precisão e arrumar espaço na agenda. Alguns cursos permitem que você estabeleça seu próprio ritmo, outros têm uma estrutura de reuniões mais tradicional e podem durar até nove semanas.

Encontre um lugar para fazer sua lição de casa e guardar seus materiais escolares. Dependendo do curso, você também pode precisar de certos livros, softwares ou outros materiais. Mesmo se você estiver assistindo a palestras gravadas, fazer anotações pode ajudá-lo a reter melhor as informações, então pense em comprar um caderno barato ou um aplicativo de anotações.

Aulas para pessoas ocupadas

Muito ocupado para se comprometer com um curso longo? O site do Coursera tem uma lista de cursos que você pode concluir num único dia. Todos estão gratuitos até o fim do ano.

E não se esqueça das palestras e webinars oferecidos por museus e bibliotecas. O site do Museum Computer Network possui uma longa lista de recursos de aprendizagem online das principais instituições. Navegar nos sites de seus museus favoritos diretamente em busca de conteúdo educacional também pode gerar bons resultados.

Lições de vida

Quer saber como trocar o óleo de um Honda Civic, fazer consertos básicos no banheiro ou remendar roupas rasgadas? Vídeos instrutivos postados no YouTube fornecem uma educação prática sobre questões práticas da vida cotidiana. Muitos sites populares do tipo faça-você-mesmo têm seus próprios canais no YouTube.

E, se você quer atualizar seu repertório de comida caseira, inicie uma busca por receitas no site. Os chefs do YouTube irão guiá-lo na preparação de inúmeras receitas - desde pratos gourmet para impressionar sua turma ou só aquele lanche meio absurdo que você tem até vergonha de mostrar, mas sabe que está gostoso. / TRADUÇÃO DE RENATO PRELORENTZOU

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade