3 eventos ao vivo

Com Startup Zone, Google mira empresas ainda em fase inicial

O diretor do Google for Startups, André Barrence, que estará hoje (13) no evento blastU, fala sobre o fomento às empresas nascentes 0

13 ago 2019
09h00
  • separator
  • 0
  • comentários

O fomento à inovação não é uma novidade para o Google. A gigante de tecnologia tem atuado regularmente no apoio às startups brasileiras com dois programas: o de residência do Google Campus São Paulo; e o recém-criado Startup Zone. O diretor do Google for Startups (Google para Startups, em uma tradução livre), André Barrence, que palestrará no evento blastU hoje (13), avalia como essencial o trabalho de estimular a escalada de negócios principiantes.

As duas iniciativas do Google diferem entre si, mas ambas têm o mesmo objetivo: oferecer apoio aos novos negócios de tecnologia no Brasil, sem aportes financeiros. “A gente brinca que nós fazemos tudo pelas startups, menos investir financeiramente nelas”, diz Barrence. Nos seus programas, a gigante de tecnologia fornece o espaço físico do Google Campus como local de trabalho, facilita acesso aos especialistas do Google, além de conectar os empreendedores com investidores anjos.

O diretor do Google for Startups, André Barrence
O diretor do Google for Startups, André Barrence
Foto: Google / Divulgação

O programa mais antigo, o de residência no Google Campus, já está em sua quarta edição. Ele procura empresas já consolidadas no mercado, ou seja, com um produto ou serviço já em funcionamento e com clientes reais. Hoje, são oito startups que estão dentro do espaço dedicado para inovação -  12min, Ahazou, Cosmobots, EduSim, Memed, Onyo, Skore e Vooozer-, mas 29 já passaram por lá nos últimos três anos.

Já o programa mais recente, o Startup Zone, está indo para a sua segunda edição. No momento, a iniciativa está em fase de inscrição. Para aplicar, ao contrário do que é feito para a residência no Google Campus, as empresas precisam estar em fase inicial, mas com um mínimo produto viável (MvP) lançado e funcional, sem precisar comprovar receita. Além disso, a equipe da startup precisa ter pelo menos um funcionário dedicado à tecnologia e desenvolvimento.

Barrence acredita que os dois programas criados pelo Google podem se conectar e estimular o desenvolvimento de empresas em diferentes estágios. “Quem é escolhido para nossas iniciativas sempre tem acesso a uma rede de empreendedores que já passaram por diversas experiências com seus negócios”, diz. “A partir daí sempre ocorre uma troca muito grande entre todos para que cada um consiga escalar o seu negócio.”

Sobre o blastU

É um festival de empreendedorismo, inovação e tecnologia que nasceu da ideia de inspirar, atualizar e conectar empreendedores que buscam ampliar sua visão e construir negócios melhores, mobilizando o Brasil para o futuro. A primeira edição aconteceu em São Paulo em 2017.

O evento é um espaço para que empreendedores tenham acesso a ferramentas, empresas, mentores e investidores. Isso tudo em um ambiente rico em conteúdo e experiências. Os ingressos para participar do blastU, que será realizado no Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, portão 3, em São Paulo, podem ser adquiridos pelo site https://www.blastu.com.br/ingressos.

Veja também:

Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade