PUBLICIDADE

Com estoques escassos, "Black Friday" nos EUA se arrasta por todo novembro

23 nov 2021 10h54
| atualizado às 12h06
ver comentários
Publicidade

Enfrentando estoques escassos de fim de ano e uma falta de trabalhadores, os varejistas norte-americanos estão transformando a "Black Friday" em um evento de um mês.

 Vitrine com promoção da Black Friday
27/11/2020
REUTERS/Arnd Wiegmann
Vitrine com promoção da Black Friday 27/11/2020 REUTERS/Arnd Wiegmann
Foto: Reuters

Nos últimos anos, as compras nas lojas na Black Friday diminuíram, com as vendas online no dia ultrapassando as vendas físicas pela primeira vez em 2019.

Este ano, os varejistas começaram a promover promoções online desde setembro, porque a crise na cadeia de suprimentos ameaçou impedí-los de trazer novas mercadorias da Ásia para os Estados Unidos nas semanas anteriores Natal. Mas as pechinchas são modestas. Os varejistas devem promover descontos de 5% a 25% nesta sexta-feira ante promoções de 5% a 10% oferecidas em outubro, de acordo com o Índice de Economia Digital da Adobe.

De acordo com uma pesquisa Reuters/IPSOS com cerca de 1.000 pessoas, mais de um quinto dos consumidores disseram que planejam comprar presentes principalmente online neste ano, enquanto apenas 12% disseram que comprariam principalmente nas lojas físicas. As vendas online na própria Black Friday devem aumentar 5%, para 9,5 bilhões de dólares, de acordo com o Índice de Economia Digital da Adobe.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade