PUBLICIDADE

Clubhouse abandona versão beta e libera entrada no app sem convites

Sucesso do aplicativo e concorrência no mundo do áudio levou Clubhouse a abrir a plataforma para todos os usuários

21 jul 2021 19h01
ver comentários
Publicidade

Após a onda do sucesso das conversas de áudio, o Clubhouse anunciou nesta quarta-feira, 21, que vai abrir o aplicativo para que os usuários não precisem mais de convites para acessar a plataforma. Com a medida, a empresa abandona oficialmente a versão beta do app e quer recuperar o mercado diante das rivais que surgiram após a febre das salas de áudio no começo do ano.

Com o movimento, qualquer usuário que use o sistema operacional Android ou iOS poderá baixar o aplicativo. Os links para as salas também seguirão as mudanças e ficarão disponíveis para que qualquer pessoa possa acessar ou compartilhar o endereço de uma conversa.

Por comunicado, o Clubhouse afirmou que agora é o momento de abrir a plataforma, mesmo que a "era" dos convites tenha sido importante para o app. Segundo a empresa, desde janeiro, a equipe do app cresceu de oito para 58 pessoas, alcançando uma média de 500 mil salas ao vivo por dia.

"Sempre quisemos que o Clubhouse estivesse aberto. Todos no mundo devem ter acesso a conversas significativas. E as melhores salas do Clubhouse são aquelas onde você encontra pessoas de fora do seu círculo social, com visões e experiências vividas muito diferentes, que mudam sua perspectiva de mundo", disse a empresa.

A migração já era esperada pelo Clubhouse, que desenvolveu o aplicativo em 2020 e viu a popularidade crescer em janeiro deste ano. Até então, para acessar o app, era necessário que algum amigo já cadastrado na plataforma enviasse um convite específico e, inicialmente, apenas usuários de iPhone eram elegíveis.

Desde que estourou nas redes sociais, o app também viu a concorrência crescer com rivais lançando serviços semelhantes, como o Espaços, do Twitter, o Live Audio Rooms, do Facebook, e o Greenroom, do Spotify — todos com menos restrições para participar ou ouvir as conversas. Agora, o objetivo é recuperar parte do público que conheceu o formato pelo Clubhouse, mas que migrou para outras plataformas.

Estadão
Publicidade
Publicidade