0

Windows 10 vai exigir permissão para que apps usem câmera, microfone e outros

13 set 2017
12h47
  • separator
  • comentários

A preocupação com a segurança e privacidade dos usuários de Windows 10 é citada pela Microsoft como uma de suas prioridades - e também motivo de muitas críticas para a companhia. Com o Fall Creators Update, marcado para sair em outubro, a empresa deve mudar mais critérios nesse sentido, fazendo com que apps exijam autorização explícita para utilizarem recursos como câmeras, microfones e outros.

Windows 10 S
Windows 10 S
Foto: Canaltech

Esse tipo de barreira já existe, mas o que vai mudar é o seu funcionamento. Hoje, o Windows 10 trabalha com um estilo de autorização implícita, com os softwares recebendo autorização automática para acessarem tais funcionalidades - a noção é de que, ao executá-los e reconhecer seu uso, o usuário está ciente da forma como eles trabalham, podendo acessar as configurações caso deseje que algum dos dispositivos não seja acessado.

Agora, entretanto, as notificações mudam para um método opt-in, na qual o utilizador é notificado e deve dar sua anuência para aquele tipo de utilização. É um método semelhante ao que temos nos sistemas operacionais móveis: sempre que um aplicativo for executado pela primeira vez, o usuário deverá dar autorizações específicas para recursos como câmera, microfones, arquivos pessoais e outros, com as preferências permanecendo guardadas até que sejam alteradas manualmente.

A novidade vai valer tanto para softwares nativos do próprio Windows 10 quanto para soluções de terceiros. Os prompts, entretanto, não serão exibidos para aplicativos que já tenham sido usados e autorizados antes do lançamento do Fall Creators Update, com suas permissões sendo mantidas como estão e alteráveis somente a partir de menus de configuração internos.

Além disso, termos de uso e privacidade também deverão ser exibidos com mais destaque, com listas de recursos acessados e dados transmitidos sendo exibidas sempre que possível. Os usuários corporativos, ainda, vão ganhar uma ferramenta que limita a quantidade de informações enviadas para a Microsoft para fins de telemetria, como forma de aumentar ainda mais a confiança daqueles que precisam de confidencialidade em suas aplicações.

Nos sistemas empresariais, responsáveis pela manutenção também terão acesso completo às configurações de compartilhamento de todo o inventário, podendo selecionar exatamente quais máquinas enviarão quais dados para a nuvem. Dados de diagnóstico, como aplicativos problemáticos, travamentos e lentidões, também passarão a ser exibidos com mais clareza e com base em tais informações coletadas.

O Fall Creators Update será liberado no dia 17 de outubro para todos os usuários do Windows 10. O download é gratuito.

Canaltech Canaltech

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade