0

Microsoft encerra suporte principal ao Windows 8.1

12 jan 2018
11h44
  • separator
  • comentários

Cumprindo seu calendário usual de desenvolvimento de software, a Microsoft encerrou nesta semana o suporte mainstream ao Windows 8.1. Isso significa que, a partir de agora, o sistema operacional não receberá mais atualizações de funcionalidades ou recursos inéditos, apenas updates de segurança ou que resolvam vulnerabilidades críticas.

Windows 8.1
Windows 8.1
Foto: Canaltech

Esse tipo de suporte, chamado de estendido pela empresa, vai até 10 de janeiro de 2023, data em que os trabalhos com o Windows 8.1 serão encerrados definitivamente. Os tempos recentes, entretanto, provaram que nem mesmo isso é uma verdade absoluta, já que, em casos de grande calamidade, mesmo sistemas operacionais com mais de uma década de existência podem receber atualizações.

Foi o caso, por exemplo, do Windows XP, lançado originalmente em 2001 e cujo suporte estendido se encerrou em 2014. No ano passado, em meio aos temores com relação ao ransomware WannaCrypt, a Microsoft liberou uma atualização emergencial para a plataforma, fechando a brecha utilizada pelo malware para infecção dos computadores. O desejo, claro, é de que uma atitude desse tipo não seja necessária.

O Windows 8.1 foi lançado em outubro de 2013 como sucessor da versão 8 do sistema operacional. Apesar de suas similaridades com o antecessor, a maior mudança foi a integração com dispositivos móveis que também rodassem a plataforma, além de otimizações e mudanças de funcionamento que levaram a edição a se tornar mais do que uma mera renovação da plataforma original.

A recomendação da Microsoft para quem ainda está na edição 8.1 de seu sistema operacional é a realização de um upgrade para o Windows 10. Na época do lançamento da atual versão do sistema, inclusive, usuários de cópias legítimas podiam fazer isso gratuitamente, com a promessa de que melhorias de hardware não seriam necessárias.

Essa possibilidade, entretanto, só esteve disponível até o final do ano passado. Agora, quem desejar realizar o upgrade para o Windows 10 deve adquirir uma nova licença do sistema operacional, que, no Brasil, custa R$ 470 na versão Home e R$ 810 na edição Pro.

O próximo produto na lista de perda de suporte, entre os destinados para o usuário final, é justamente a plataforma atual. O Windows 10 terá seu suporte mainstream encerrado em outubro de 2020, com apoio estendido previsto para acontecer até 2025. Até lá, a ideia é que a Microsoft libere novas versões, como aconteceu com a 8.1, que levem o sistema operacional adiante.

Canaltech Canaltech

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade