0

Facebook não enviará Zuckerberg para depor no Reino Unido

15 mai 2018
18h32
atualizado às 18h48
  • separator
  • comentários

Mark Zuckerberg decidiu que não viajará ao Reino Unido para depor aos parlamentares do estado soberano; em vez disso, a rede social emitiu, na segunda-feira (14), um comunicado no qual pediu desculpas às autoridades do país. Tal resposta foi divulgada pelo comitê britânico nesta terça-feira (15). A ideia era que o CEO do Facebook desse respostas mais detalhadas para uma série de questões que os parlamentares possuem a respeito da influência da plataforma no Brexit.

Zuckerberg
Zuckerberg
Foto: Reprodução / Canaltech

"O Sr. Zuckerberg não tem planos de se reunir com o comitê nem de viajar para o Reino Unido no momento, mas reconhecemos plenamente a gravidade dessas questões e continuamos comprometidos a trabalhar com vocês", afirmou Rebecca Stimson, diretora de políticas públicas da companhia. Tal texto foi enviado aos cuidados de Damian Collins, que chefia o comitê responsável pela investigação, que, por sua vez, aguardava a visita de Zuckerberg para obter informações mais detalhadas sobre o assunto.

A rede social disse ainda estar "decepcionada" com o fato de que Collins não ficou satisfeito com as explicações fornecidas anteriormente por Mike Schroepfer, diretor de tecnologia do Facebook. Schroepfer explicou ao Reino Unido que uma empresa canadense de inteligência, similar à Cambridge Analytica (CA), gastou quase US$ 2 milhões em anúncios para grupos de campanha pró-Brexit.

Na nova carta, a companhia ressalta ainda que foi incapaz de nomear um responsável pela decisão de não divulgar o uso indevido de dados por parte da CA (outro pedido dos parlamentares) e que contratará um escritório de advocacia local para prosseguir com os debates na região, inclusive no que diz respeito ao pesquisador Aleksandr Kogan — que foi uma peça essencial para tal manobra da agência.

Veja também

 

Canaltech Canaltech

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade