0

"Coração" da Campus Party abasteceria cidade de 5 milhões de pessoas

29 jan 2014
10h12
  • separator
  • 0
  • comentários

O campuseiro pode não ser exigente com a acomodação nas barracas, mas não tolera internet devagar. Por isso, a Telefônica Vivo montou uma infraestrutura milionária com rede capaz de enviar e receber 40 Gbps. De acordo com o diretor de redes da companhia, Ari Falarini, o equipamento montado dentro de um "aquário" no centro da Arena Anhembi poderia fazer 625 mil chamadas telefônicas simultâneas, o que seria suficiente para uma cidade de até 5 milhões de habitantes, ou seja, duas vezes população de Belo Horizonte, por exemplo.

Segundo o executivo, a Campus Party deve receber em torno de 12 mil visitantes diários para uma rede que comportaria até 20 mil pessoas fazendo downloads a 2 Mbps de velocidade constante. O custo do equipamento seria na casa da dezena de milhão de dólares, se não fossem as parcerias feitas com os fornecedores. Na verdade, a capacidade instalada no local é o dobro destes números, já que dois sistemas trabalham no esquema de redundância - caso um falhe, o outro entra em operação imediatamente.

"Se algum equipamento cair, o back up demora milésimos de segundo para atuar - seria imperceptível. Temos 40 Gbps em 'cada perna'. Se houver necessidade, por exemplo, um pico inesperado de atividade, podemos até abrir para 80 gbps", afirmou Falarini. A conexão de fibra ótica passa apenas por duas centrais da Telefônica e chega direto ao "coração" da Campus Party. "A cada nó de rede perde-se capacidade de processamento. Aqui ele está quase ligado diretamente à rede", explicou o executivo.

Dentro da central da Campus Party, chamada de OVNI, ainda estão localizadas as antenas da telefonia móvel 3G e 4G. "O usuário aqui é muito mais exigente que o normal, mas é o mesmo equipamento que usamos no nosso dia-a-dia, então também acabamos aprendendo", completou Falarini. 

Veja também:

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade