2 eventos ao vivo

Broadcom deve manter interesse em aquisições após acordo com Qualcomm ser barrado, dizem analistas

13 mar 2018
13h46
atualizado às 16h01
  • separator
  • comentários

O presidente-executivo da Broadcom, Hock Tan, não deve descartar a onda de aquisição após a oferta de 117 bilhões de dólares da fabricante de chips pela Qualcomm ser bloqueada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, argumentando questão de segurança nacional, disseram analistas nesta terça-feira.

Sede da Broadcom na Califórnia
06/11/2017
REUTERS/Mike Blake
Sede da Broadcom na Califórnia 06/11/2017 REUTERS/Mike Blake
Foto: Reuters

Trump emitiu uma ordem na véspera para impedir o que teria sido o maior acordo na área de tecnologia devido a preocupações de que a fusão daria vantagem à China na área de comunicação móvel.

O presidente-executivo da Broadcom tem uma inclinação a compras que tornou a Avago, a pequena fabricante de chips que ele comandava com valor de mercado de apenas 3,5 bilhões de dólares em 2009, em uma gigante avaliada em mais de 100 bilhões de dólares.

Tan comprou a Broadcom por 37 bilhões de dólares em um acordo alavancado em 2015 e avançou com um acordo de 5,5 bilhões de dólares para comprar a Brocade Communications dois anos depois.

Muitos analistas acreditam que a Broadcom vai sair do acordo com a Qualcomm e muitos identificaram a Xilinx e a israelense Mellanox Technologies como seus próximos alvos.

A Broadcom não pode ser imediatamente contatada para comentar o assunto.

Embora o acordo da Qualcomm tornaria a Broadcom o fornecedor dominante de chips usados em smartphones e levaria a empresa à dianteira no desenvolvimento da próxima geração de tecnologia móvel conhecida como 5G, a empresa ainda pode fazer uma série de acordos menores para ganhar força.

"Nós acreditamos que as opções da Broadcom começam com a continuidade das fusões e aquisições amplamente dimensionadas em comunicação, disse o analista Craig Ellis, da B. Riley. "A Broadcom cobiça negócios de alta margem, risco em tecnologia e crescimento moderado com mercado final complementar e exposição a cliente."

Dois analistas disseram que a Xilinx e a Mellanox seriam boas opções para a Broadcom, embora não tão transformadoras como a Qualcomm. A Xilinx faz chips usados para comunicação sem fio e os produtos da Mellanox conectam servidores e sistemas de armazenamento, complementando a carteira da Broadcom.

A Xilinx tem valor de mercado de 20 bilhões de dólares e a Mellanox, de pouco menos de 4 bilhões de dólares.

Nenhuma das duas empresas estava imediatamente disponível para comentar.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade