PUBLICIDADE

Bolsonaro cria rede federal contra invasão de hackers a órgãos públicos

GSI vai coordenar a nova iniciativa de proteção contra invasões cibernéticas a órgãos públicos; participação de ministérios e autarquias é obrigatória

20 jul 2021 15h25
ver comentários
Publicidade

O presidente Jair Bolsonaro editou um decreto na segunda-feira (19) que institui a criação da Rede Federal de Gestão de Incidentes Cibernéticos, que terá a finalidade de aprimorar respostas a possíveis ataques e invasões de cibersegurança. A iniciativa será coordenada pelo GSI (Gabinete de Segurança Institucional). A participação de órgãos de gestão do poder público, como ministérios e autarquias, é obrigatória.

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro do GSI, General Augusto Heleno
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro do GSI, General Augusto Heleno
Foto: Marcos Corrêa/PR / Tecnoblog

Rede federal contra hackers pode incluir Vale e Petrobras

Quem fica responsável por coordenar os esforços da Rede Federal de Gestão de Incidentes Cibernéticos é o GSI. Ele também pode aprovar a participação de empresas de economia mista — como Vale e Petrobras — e suas subsidiárias podem aderir voluntariamente.

Contudo, há alguns critérios para compor a rede. Cada empresa deve formar uma equipe de agentes públicos cuja responsabilidade é prevenir ataques cibernéticos e responder à invasão de hackers, protegendo os dados dos órgãos em que atuam.

Os casos mais delicados são de entidades como o Banco do Brasil e a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) — os dados são vitais para serviços considerados essenciais pelo governo.

GSI: "ameaças cibernéticas cresceram em escala mundial"

De acordo com a Secretaria Geral da Presidência, a medida foi motivada pelo aumento de ciberataques ao redor do mundo. O GSI poderá, inclusive, buscar ajuda internacional para se defender de hackers.

Em nota, a Secretaria Geral do governo explica:

"A iniciativa foi motivada pelo fato de as ameaças cibernéticas terem crescido em escala mundial. Organizações públicas e privadas de diversos países têm reforçado suas políticas de segurança da informação e de segurança cibernética e elevado o nível de proteção dos sistemas computacionais por eles utilizados, especialmente no âmbito da gestão estatal."

Os recursos financeiros serão distribuídos aos participantes dessa nova iniciativa pela Secretaria de Governo Digital da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, que faz parte do Ministério da Economia. Isso será realizado por meio do Sisp (Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação).

Com informações: EBC e Secretaria Geral

Bolsonaro cria rede federal contra invasão de hackers a órgãos públicos

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade