2 eventos ao vivo

Bill Gates: "Pessoas pararam de colaborar com a quarentena"

Em entrevista ao canal americano CNN, o fundador da Microsoft disse que as pessoas já se cansaram das medidas de proteção nos EUA

30 jun 2020
12h29
atualizado às 12h37
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Bill Gates acredita que o situação atual dos Estados Unidos frente à pandemia de coronavírus é "mais sombria" do que imaginou no começo da crise. Em entrevista ao canal americano CNN, o fundador da Microsoft afirmou que os EUA não foram rigorosos o suficiente em questões de proteção, como o uso de máscaras, monitoramento do distanciamento social e esforços de quarentena no território norte-americano.

Fundador da Microsoft, Bill Gates escreve anualmente sobre suas recomendações de livros
Fundador da Microsoft, Bill Gates escreve anualmente sobre suas recomendações de livros
Foto: Bill Gates/Divulgação / Estadão Conteúdo

Ao canal de televisão, o empresário disse que as pessoas já estão cansadas das medidas de segurança e proteção e não estão dispostas a continuar colaborando com o distanciamento social e uso de máscaras.

"É quase como se as pessoas estivessem dispostas a entrar em confinamento só uma vez e por um certo período", disse Gates. "Então, quando isso acontece, para ir além ou mesmo se importar em colocar máscaras, exige que alguém que conheça não apenas dê positivo, mas também fique muito doente", acrescentou Gates. "Algumas pessoas estão sendo muito conservadoras no que fazem e algumas estão basicamente ignorando a epidemia. É enorme. E esgotamos a paciência das pessoas. Algumas pessoas quase sentem que é uma coisa política, o que é lamentável".

Nos Estados Unidos, a curva de casos e mortes tem crescido rapidamente nas últimas semanas. Mesmo com a liberação de alguns serviços em cidades bastante afetadas, como Nova York, os americanos têm visto o país bater, novamente recordes diários. Desde o início da pandemia, já foram mais de 120 mil mortes e mais de 2,6 milhões de pessoas infectadas nos EUA.

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade