PUBLICIDADE

Após mudanças na plataforma, Twitter tem maior alta no faturamento desde 2014

Crescimento de número de usuários no 2º trimestre surpreendeu analistas

22 jul 2021 18h56
| atualizado às 19h15
ver comentários
Publicidade

O Twitter surpreendeu o mercado ao apresentar, de abril a junho, o maior crescimento trimestral na receita desde 2014, impulsionado pelo aumento no número de usuários e por novas funções criadas pela rede social.

O Twitter registrou lucro líquido de US$ 66 milhões no segundo trimestre, revertendo o prejuízo de US$ 1,378 bilhão de igual período do ano passado. O resultado surpreendeu analistas e motivou uma alta de quase 8% nos papéis da rede social após o fechamento do mercado, na Bolsa dos EUA.

A receita do Twitter atingiu o valor de US$ 1,19 bilhão no trimestre encerrado em junho, alta de 74% na comparação com o mesmo período de 2020 - a empresa afirmou que houve "um amplo aumento na demanda de anunciantes".

Da receita total, US$ 1,05 bilhão veio de anúncios, alta de 87% ante o mesmo período do ano anterior. Essa mudança refletiu medidas para aumentar a eficácia e a visibilidade de campanhas publicitárias veiculadas na plataforma. A expansão, segundo a companhia, reflete a emergência da propaganda online durante o período de isolamento social.

Principal métrica para apurar o sucesso da rede social, o número de usuários ativos monetizáveis por dia chegou a 206 milhões, superando a expectativa de analistas, de 205,9 milhões. É também um crescimento em comparação com o último trimestre encerrado em março deste ano, quando a empresa registrou o número de 199 milhões de usuários.

Novidades

A rede social tem se transformado ao longo de 2021. Desde o início do ano, o Twitter lançou produtos em novas áreas, como salas de bate-papo em áudio e serviços de assinatura para monetizar conteúdo. Também estuda possibilitar diferentes "linhas do tempo" para os usuários, alternando a postagem de conteúdo para público geral ou específico para núcleos do trabalho ou família, por exemplo.

Nesta semana, o Twitter anunciou que iria descontinuar os Fleets, recurso de fotos autodeletáveis após 24 horas no ar. De acordo com a companhia, poucas pessoas aderiram aos Fleets, que não incentivaram mais postagens dos usuários.

Essas novidades e mudanças na plataforma constituem um esforço para contornar os anos de estagnação nos negócios. Neste ano, o presidente executivo da empresa, Jack Dorsey, estabeleceu a meta de dobrar a receita anual até 2023./ COM REUTERS

Estadão
Publicidade
Publicidade