4 eventos ao vivo

AMD lança nova geração de chips para servidores com Google e Twitter como clientes

8 ago 2019
12h43
atualizado às 12h46
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A AMD lançou na quarta-feira a segunda geração de seu chip processador para centros de dados e informou que havia conseguido o Google, da Alphabet, e o Twitter como clientes.

09/01/2019
REUTERS/Steve Marcus - RC12023B3630
09/01/2019 REUTERS/Steve Marcus - RC12023B3630
Foto: Reuters

A AMD concorre com a Intel para fornecer chips para centros de dados que alimentam serviços baseados na internet. Ambas as empresas passaram a confiar em chips de centros de dados para seu crescimento, porque as vendas de computadores pessoais estagnaram quando os usuários mudaram para dispositivos móveis.

A mais nova geração de chips para servidores da AMD, chamada EPYC, usa uma nova tecnologia de produção de seus fabricantes contratados, que ajuda os chips a terem melhor desempenho e consumirem menos energia.

A Intel, que produz chips em suas próprias fábricas, em vez de depender de fabricantes terceirizados, está atrasada na entrega de chips feitos com seu próprio processo de fabricação. Ela planeja lançá-los no próximo ano.

A AMD tentou tirar proveito disso cortejando alguns dos maiores clientes da Intel, como o Google.

A AMD informou nesta quinta-feira que o Google está usando seu chip de servidor EPYC de segunda geração nos centros de dados internos da empresa e que o Google oferecerá a desenvolvedores externos como parte de suas ofertas de computação em nuvem no final deste ano. É a primeira vez que o Google reconhece publicamente o uso dos chips EPYC da AMD.

A Intel, que disse que o Google e o Twitter continuam sendo clientes, é o principal fornecedor de chips para centros de dados, com mais de 90% do mercado sob seu controle.

Veja também:

Como a Tesla fez de Musk a 2ª pessoa mais rica do mundo
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade