4 eventos ao vivo

Amazon reduz equipe que trabalha em entrega por drones

Dezenas de funcionários do projeto do Prime Air foram afastados; Amazon pretende terceirizar parte dos trabalhos

20 nov 2020
17h16
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Amazon afastou dezenas de funcionários da equipe do Prime Air, seu projeto de entrega por drones. Agora, parte dos esforços será terceirizada para outras empresas, que atuarão nas áreas de P&D (pesquisa e desenvolvimento) e produção. A medida teria sido tomada por conta de uma insatisfação da varejista com o ritmo do projeto.

Drone usado em testes do Prime Air (Imagem: Divulgação/Amazon)
Drone usado em testes do Prime Air (Imagem: Divulgação/Amazon)
Foto: Tecnoblog

A informação foi publicada pelo Financial Times e confirmada pelo TechCrunch. Em nota, a Amazon afirmou que a redução na equipe do Prime Air aconteceu para adaptar o projeto às necessidades dos clientes e do negócio. A empresa não revelou o número de funcionários afastados, mas apontou que busca novas funções para eles em seus quadros internos.

"Como parte de nossas operações regulares de negócios, estamos reorganizando uma pequena equipe dentro de nossa organização maior do Prime Air para nos permitir um melhor alinhamento com as necessidades de nossos clientes e da empresa", afirmou a Amazon aos veículos. "Para os funcionários afetados, estamos trabalhando para encontrar funções nas áreas onde estamos contratando que melhor correspondam às suas experiências e necessidades".

Os executivos da companhia não estariam felizes com a velocidade de desenvolvimento do Prime Air. O serviço de entregas por drones foi anunciado em 2013, sem uma previsão de quando seria chegaria aos clientes. Em junho de 2019, o chefe da divisão de consumo da Amazon, Jeff Wilke, afirmou que o projeto ganharia escala alguns meses depois. Isso ainda não aconteceu, mas a empresa espera avançar em 2021, ainda que em um ritmo lento.

Com a mudança nos planos, a Amazon tem acordos iniciais com ao menos duas empresas: a austríaca FACC e a espanhola Aernnova Aerospace. Ambas, produzem peças para empresas como Airbus, Boeing e Bombardier. Os termos do acordo ainda estão sendo definidos, mas as empresas deverão fabricar componentes dos drones que serão utilizados nas entregas. A gigante do varejo também deve firmar parcerias com outras empresas.

Amazon já revelou drone do Prime Air

Apesar de ainda não ter atingido uma operação plena, a Amazon já apresentou um modelo de drone que será usado nas entregas. Em conferência realizada em 2019, a empresa revelou um dispositivo capaz de fazer trajetos de 24 quilômetros com encomendas de até 2,2 kg. Ele conta com seis rotores, câmeras comuns e infravermelho, além de sensores por todos os lados.

Em agosto de 2020, a empresa recebeu autorização da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) para testar as entregas com o drone. A permissão determina que a empresa deverá seguir diretrizes adaptadas a partir do modelo usado com companhias aéreas, mas não há informações de qual o andamento dos testes.

Amazon reduz equipe que trabalha em entrega por drones

Veja também:

Como a Tesla fez de Musk a 2ª pessoa mais rica do mundo
Tecnoblog
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade