PUBLICIDADE

Ações de empresas de aplicativos desabam por temores de repressão regulatória na UE

6 dez 2021 12h54
| atualizado às 15h18
ver comentários
Publicidade

As especulações de que a Comissão Europeia deve propor regras trabalhistas mais rígidas para regular a economia "gig" faziam as ações de empresas do setor caírem novamente na segunda-feira.

Entregador do aplicativo Deliveroo em Londres, Reino Unido
31/03/2021
REUTERS/Toby Melville
Entregador do aplicativo Deliveroo em Londres, Reino Unido 31/03/2021 REUTERS/Toby Melville
Foto: Reuters

Investidores temem que os modelos de negócios de empresas de transporte e de entregas por aplicativos sejam prejudicados, caso a autoridade executiva da União Europeia exija que contratem diretamente motoristas e entregadores.

Ações de empresas como Deliveroo, Just Eat Takeaway e Delivery Hero caíam entre 3,5% e 5,5% no começo da tarde desta segunda-feira (horário de Brasília).

"A espinhosa questão de saber se os motoristas de entrega são funcionários ou não está prestes a ser respondida pela Comissão da União Europeia no final desta semana e relatórios sugerem que a resposta será sim", comentou Danni Hewson, analista financeiro da AJ Bell.

"Para empresas de entregas de alimentos como Deliveroo e Just Eat, pode significar um grande aumento nos custos, que muitos esperam ser repassados aos consumidores em toda a Europa Central", acrescentou Hewson.

Susannah Streeter, analista sênior de investimentos e mercados da Hargreaves Lansdown, disse que outros fatores também pesam sobre as ações de tecnologia, como as expectativas de aumento das taxas de juros, que normalmente as tornam financeiramente menos atraentes.

"As expectativas de que o comércio de restaurantes não seja tão prejudicado pela nova variante como se pensava inicialmente, provavelmente pesaram mais", acrescenta Streeter, observando que as empresas de entrega de alimentos tiveram valorização de suas ações durante a pandemia.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade