PUBLICIDADE

Acionista relevante da Toshiba se opõe a plano de cisão e pressiona conselho por ofertas

24 nov 2021 10h36
ver comentários
Publicidade

O segundo maior acionista da Toshiba se opôs nesta quarta-feira ao plano do conglomerado japonês de se dividir em três empresas e pediu que, em vez disso, solicitasse ofertas de compradores em potencial.

O fundo de hedge 3D Investment Partners, que possui mais de 7% da Toshiba, expôs suas objeções em uma carta de três páginas ao conselho de administração da empresa, tornando-se o primeiro grande acionista a se opor formalmente ao plano de cisão definido neste mês.

A carta, vista pela Reuters, destaca o desconforto dos acionistas com a proposta da Toshiba e levanta a possibilidade de que a separação pode ter dificuldades para ser aprovada em uma reunião de acionistas no início do próximo ano.

Um porta-voz da Toshiba disse que a empresa não comenta sobre discussões individuais com acionistas. O 3D não quis comentar.

A divisão proposta é "extremamente improvável" de resolver qualquer um dos problemas atuais da Toshiba e "ao invés disso, é muito provável que crie três empresas de baixo desempenho à imagem da Toshiba de hoje", disse o 3D, com sede em Cingapura.

Alguns outros acionistas de fundos de hedge também disseram à Reuters, sob condição de anonimato, que estavam desapontados pela recusa da Toshiba de fechar o capital.

Em sua carta, o 3D disse que a Toshiba deveria "abrir um processo formal, desenvolver um plano atraente para cada um dos negócios, fornecer materiais detalhados de diligence e reuniões de gerenciamento para as partes financeiras e estratégicas interessadas, encorajar e permitir propostas ampliadas dessas partes e avaliar o melhor caminho a seguir ".

No entanto, a carta, que também foi endereçada ao comitê de revisão, criticou o grupo pelo que considerou uma falha em pedir propostas para a venda da Toshiba, ou a alienação parcial de alguns de seus negócios.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade