PUBLICIDADE

Recém-filiado ao PSDB, Garcia anuncia pré-candidatura em SP

"Sou pré-candidato a governador de São Paulo. Se tiverem outros nomes, que sejam feitas prévias", disse vice-governador ao 'Estadão'

1 jun 2021 03h06
| atualizado às 07h31
ver comentários
Publicidade

Filiado ao PSDB desde o último 14, o vice-governador paulista, Rodrigo Garcia, anunciou pela primeira vez nesta segunda-feira, 31, que é pré-candidato ao Palácio dos Bandeirantes em 2022 e defendeu a realização de prévias caso outro tucano também se apresente para disputar o cargo. "Eu vou disputar a sucessão estadual e defendo a realização de prévias se tiver mais de um candidato em São Paulo", disse Garcia ao Estadão.

O vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia
O vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia
Foto: Abraão Soares / Futura Press

O vice-governador tem o apoio do governador João Doria, que planeja deixar o cargo em abril de 2022 para disputar à Presidência da República se vencer as prévias nacionais do PSDB - que ainda não foram regulamentadas.

O gesto ocorre no momento em que o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) pressiona nos bastidores o partido para que realize prévias estaduais, e ao mesmo tempo conversa com outras siglas que o assediam para disputar o governo. Após a saída de Garcia do DEM, o partido presidido pelo ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, convidou Alckmin para ser candidato e sinalizou que ele poderia assumir o comando do Democratas no Estado. O PSB também mantém um diálogo permanente com o ex-governador.

"Pela história que ele construiu, a expectativa é que o Dr. Geraldo permanece no PSDB. Ele será sempre uma voz muito ouvida no partido. Se quiser ser o candidato, terá a oportunidade de participar das prévias. Tenho muito respeito por ele, mas o espírito é de renovação no PSDB", disse Garcia.

A cúpula do PSDB paulista montou uma estratégia para aproximar o vice-governador da militância enquanto ele intensifica a agenda de viagens pelo interior paulista e recebe prefeitos em audiências no seu gabinete. Desde janeiro, cerca de 250 prefeitos foram recebidos por Garcia em São Paulo e ele visitou 18 municípios em três meses - fevereiro, abril e maio. A agenda de viagens foi intensificada e ele tem visitado uma média de 4 cidades por dia entre às sextas e sábados.

"Tenho andado mais e conversando com os prefeitos, a agenda está permitindo. O João (Doria) por outro lado também tem feito uma agenda intensa no interior para mostrar um pouco do conjunto da obra do Estado. Faz 1 ano e 3 meses que a gente só é visto falando de saúde. Temos andado com todos os cuidados no interior mostrando as outras áreas de governo. Tem muita coisa acontecendo", afirmou o vice - governador.

A "caravana" de Garcia no segundo semestre vai focar nas obras do programa creche-escola, parceria com prefeituras para ensino infantil de 0 a 3 anos que começou quando ele ainda era secretário de Desenvolvimento Social, em 2011. Outra "vitrine" é o programa Vida Longa, que vai construir condomínios para pessoas idosas em situação de vulnerabilidade social. Em outras viagens, o vice-governador vai entregar obras de infraestrutura - rodovias e anúncios do programa Pró -Vicinais, que promete recuperar de 1.563 km.

Questionado sobre a disposição de enfrentar uma disputa interna no PSDB, Garcia conta que participa de eleições desde os 24 anos de idade. "Foram seis e até agora. Graças a Deus nunca perdi", disse. Com 47 anos, o vice-governador foi filiado ao DEM desde os 21 anos. Sua saída do partido abriu uma crise com o PSDB, que foi um aliado histórico do Democratas.

Estadão
Publicidade
Publicidade