4 eventos ao vivo

Venezuelano Leopoldo López volta para prisão domiciliar

6 ago 2017
08h47
atualizado às 10h03
  • separator
  • 0
  • comentários

Fundador do partido Vontade Popular passou quase uma semana em presídio militar após ser levado por tropas do regime chavista. O líder opositor venezuelano Leopoldo López foi levado no sábado (5) de volta para sua casa, sob detenção domiciliar, após permanecer cinco dias em um presídio militar.

O líder da oposição venezuelana Leopoldo López no momento de sua prisão, em 2014 
O líder da oposição venezuelana Leopoldo López no momento de sua prisão, em 2014
Foto: Agência Brasil

"Acabam de levar Leopoldo para casa. Seguimos com mais certeza e firmeza para se conseguir a paz e a liberdade da Venezuela!", escreveu Lilian Tintori, esposa do fundador do partido político Vontade Popular na rede social Twitter.

Nenhuma autoridade venezuelana comentou a medida. Depois da publicação da mensagem por Tintori, homens do serviço de inteligência venezuelano e várias pessoas encapuzadas começaram a chegar às portas da casa de López, no leste de Caracas.

O opositor foi tirado da sua residência pelo Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin) na madrugada de terça-feira (1), de acordo com imagens das câmaras de segurança da residência.

Nesse mesmo dia foi suspensa a medida de detenção domiciliar do prefeito metropolitano de Caracas, o também opositor Antonio Ledezma. Segundo as autoridades, ambos apresentavam risco de fuga. Ledezma voltou para casa na sexta-feira (4).

Histórico

López foi condenado em 2015 a quase 14 anos de prisão pelos delitos de incitação pública, associação para delinquir, danos a propriedade e incêndio, relacionados a distúrbios registrados numa marcha antigovernamental convocada por ele no ano anterior.

O opositor foi preso pela primeira vez em fevereiro de 2014, quando se entregou voluntariamente à polícia depois que uma ordem de prisão foi emitida contra ele seis dias depois do protesto. No início de julho deste ano, passou a cumprir prisão domiciliar após passar mais de três anos preso.

Diversos governos e organismo de direitos humanos consideram López um preso político, o que é rechaçado pelo governo do presidente Nicolás Maduro.

O momento em que líderes opositores são presos em suas casas de madrugada na Venezuela

A família do oposicionista passou meses sem poder visitá-lo na prisão e, no final de junho, a esposa de López, Lilian Tintori, denunciou que o marido estava sendo torturado. A Anistia Internacional pediu às autoridades venezuelanas que investigassem o caso.

JPS/efe

 

Deutsche Welle A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade