PUBLICIDADE

Veneza define critérios para acionar barreiras contra inundações

Sistema Mose entrará em funcionamento em caráter emergencial

10 set 2020 12h58
| atualizado às 13h28
ver comentários
Publicidade

As autoridades italianas definiram os requisitos para a entrada em funcionamento em caráter emergencial do sistema Mose, rede de barreiras projetada para proteger o centro histórico de Veneza contra inundações.

Teste do sistema Mose, em 10 de julho
Teste do sistema Mose, em 10 de julho
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Segundo a comissária extraordinária do governo para o Mose, Elisabetta Spitz, as comportas serão acionadas sempre que a maré superar 130 centímetros, nível que já é suficiente para alagar as partes mais baixas do centro de Veneza, como a Praça San Marco.

Em um relatório obtido pela ANSA, Spitz explica que a medida será capaz de proteger 55% do território da região contra alagamentos. O Mose passou por testes de funcionamento em julho e agosto, com o acionamento simultâneo de todas as barreiras, que ficam na Bocca di Malamocco, na Bocca di Chioggia e na Bocca di Lido (esta é dividida em duas por uma ilha artificial), os três acessos da Lagoa de Veneza ao Mar Adriático.

Um novo teste está programado para 11 de setembro, mas a obra, iniciada em 2003, está prevista para ser concluída apenas em dezembro de 2021, ao custo de 5,5 bilhões de euros. Até lá, o sistema vai operar em regime emergencial, quando a maré superar os 130 centímetros.

Após a conclusão, o Mose será acionado quando a água subir acima de 110 centímetros.

Alagamentos

O centro da capital do Vêneto se distribui por ilhas situadas na Lagoa de Veneza, que sofre regularmente com a "acqua alta". Mais comum entre o fim do outono e o início do inverno europeu, esse fenômeno ocorre quando o Mar Adriático sobe e invade a área lagunar, inundando a parte mais famosa da cidade.

A solução encontrada para combater o problema é o sistema Mose, acrônimo de Módulo Experimental Eletromecânico e que também remete ao personagem bíblico Moisés (Mosè, em italiano). O projeto foi iniciado em 2003, mas escândalos de corrupção adiaram o fim das obras para dezembro de 2021.

A maior "acqua alta" já registrada na cidade teve 194 centímetros, em 1966, mas, em novembro passado, ocorreram quatro marés superiores a 140 centímetros, algo inédito para um único mês em toda a história de Veneza. A maior delas teve 187 centímetros.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade