1 evento ao vivo

Veneza ativará barreiras contra inundações dentro de 6 meses

O sistema Mose entrará em funcionamento em caráter experimental

7 jan 2020
15h51
atualizado às 16h03
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O prefeito de Veneza, Luigi Brugnaro, anunciou nesta terça-feira (7) que o Mose, sistema de comportas criado para evitar inundações na cidade, estará apto a funcionar para "emergências" dentro de seis meses.

Veneza ativará barreiras contra inundações dentro de 6 meses
Veneza ativará barreiras contra inundações dentro de 6 meses
Foto: Baz Ratner / Reuters

Em obras desde 2003, o projeto está previsto para ser concluído em dezembro de 2021, ao custo de 5,5 bilhões de euros, e é constituído de barreiras instaladas nos três acessos da Lagoa de Veneza ao Mar Adriático. As comportas são capazes de resistir a inundações de até três metros — a mais alta já registrada na história da cidade teve 1,94 metro, em 1966.

"Dentro de seis meses, todas as barreiras do Mose serão capazes de funcionar para emergências", disse Brugnaro, ao fim de uma reunião com representantes do consórcio responsável pela obra.

Segundo o prefeito, o próximo passo é decidir quem "apertará o botão" para ativar o sistema em sua fase experimental. As barreiras instaladas no Porto de Malamocco, principal acesso de Veneza ao Mar Adriático, foram testadas com sucesso em 3 de dezembro.

Em novembro passado, o centro da cidade registrou quatro marés superiores a 140 centímetros, algo inédito para um único mês em toda a história de Veneza. A maior delas, no dia 12, teve 187 centímetros.

O fenômeno da "acqua alta" é mais comum entre o fim do outono e o início do inverno europeu e acontece quando o nível do Mar Adriático sobe e invade as águas da lagoa, inundando a cidade.

As marés são influenciadas pelo ciclo lunar e por eventos meteorológicos, como tempestades e o vento de siroco, uma corrente de ar quente proveniente do deserto do Saara, mas fatores como o aquecimento global e o assoreamento do solo lagunar também contribuem para as enchentes.

Veja também:

 

Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade