PUBLICIDADE

Mundo

Taiwan relata nova atividade militar chinesa menos de uma semana após fim dos jogos de guerra

29 mai 2024 - 08h39
Compartilhar
Exibir comentários

Taiwan relatou nova atividade militar chinesa nas proximidades nesta quarta-feira, dizendo que os navios de guerra e aviões de guerra da China estavam realizando "patrulhas conjuntas de prontidão de combate", menos de uma semana depois que Pequim encerrou dois dias de jogos de guerra.

A China disse que realizou os jogos de guerra que começaram na última quinta-feira como "punição" pelo discurso de posse do presidente Lai Ching-te na semana passada, no qual ele afirmou que os dois lados do Estreito de Taiwan "não estavam subordinados um ao outro". A China viu isso como uma declaração de que os dois lados são países separados.

A China considera Taiwan, governada democraticamente, como seu próprio território e nunca renunciou ao uso da força para colocar a ilha sob seu controle. Lai rejeita as reivindicações de soberania da China, dizendo que somente o povo de Taiwan pode decidir seu futuro, e ofereceu repetidamente conversações com Pequim, mas foi rejeitado.

O Ministério da Defesa de Taiwan disse que, a partir das 15h20 de quarta-feira, no horário local, detectou 28 aeronaves militares chinesas, incluindo caças Su-30, operando em torno de Taiwan e realizando "patrulhas conjuntas de prontidão de combate" em conjunto com navios de guerra.

Dezoito das aeronaves chinesas cruzaram a linha mediana do Estreito de Taiwan ou áreas próximas, e voaram para o espaço aéreo ao norte, centro e sudoeste de Taiwan, informou o ministério.

Falando aos repórteres no Parlamento no início da quarta-feira, o diretor-geral do órgão de segurança nacional de Taiwan, Tsai Ming-yen, disse que o objetivo dos exercícios da China na semana passada não era entrar em guerra.

"O objetivo dos exercícios militares era intimidar", declarou ele.

Em Pequim, Zhu Fenglian, porta-voz do Escritório de Assuntos de Taiwan da China, reiterou sua lista de reclamações sobre Lai ser um perigoso defensor da independência formal de Taiwan e ameaçou a continuidade da atividade militar chinesa.

Os exercícios foram uma "ação justa para defender a soberania nacional e a integridade territorial", disse ela.

"Como as provocações de Taiwan em prol da independência continuam, as ações do Exército de Libertação Popular para salvaguardar a soberania nacional e a integridade territorial continuam".

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade