PUBLICIDADE

Rússia inicia eleições legislativas com voto online sob ataque

Putin votou de maneira remota por estar isolado por Covid-19

17 set 2021 11h38
| atualizado às 11h47
ver comentários
Publicidade

A Rússia iniciou nesta sexta-feira (17) a votação para as eleições legislativas na Câmara Baixa do Parlamento, a Duma e para o governo de nove regiões com um sistema de votação presencial e online. No entanto, segundo as autoridades, o site usado para o pleito, que segue até o domingo (19), está sofrendo ataques.

Putin, que está isolado, votou de maneira remota nesta sexta
Putin, que está isolado, votou de maneira remota nesta sexta
Foto: EPA / Ansa - Brasil

Conforme noticiou a agência de notícia estatal Tass, a responsável pela Comissão Central Eleitoral (CEC), Ella Pamfilova, disse que "sérios ciberataques" estão sendo realizados contra a plataforma usada no país e metade das ações "estão vindo dos Estados Unidos". Os demais estão sendo realizados da Alemanha (25%), da Coreia do Sul (20%) e da China (5%).

Porém, o sistema segue funcionando com apenas alguns retardamentos em funções. De acordo com o vice-presidente da CEC, Nikolai Bulaev, a afluência às urnas física está entre 8% e 12% nesta sexta e em seis regiões o voto online já teve 48% da afluência.

Quem usou o site para votar foi o presidente do país, Vladimir Putin, que está isolado porque grande parte de sua equipe contraiu a Covid-19.

Além dos cargos gerais, eleitores de três regiões escolherão funcionários de órgãos importantes e 39 parlamentares regionais serão eleitos.

Oposição mínima 

As eleições deste ano vão manter a hegemonia da sigla Rússia Unida, de Putin, já que as maiores organizações de oposição não puderam concorrer por "irregularidades" nos registros.

Entre os partidos banidos, está o de Alexei Navalny, que foi excluído do processo democrático por ser considerado uma "organização terrorista".

Mesmo que o Rússia Unida tenha apresentado inúmeros sinais de enfraquecimento, por conta de uma série de denúncias de corrupção, a nação está praticamente sem oposição a Putin há anos.

Em declaração na quinta-feira (16), o mandatário se manifestou e pediu que os russos "tenham senso cívico de responsabilidade, sensatez e patriotismo" para escolher deputados que "trabalhem para o bem e o bom nome da nossa Rússia querida". .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade