0

REUTERS NEXT-Índia diz que confiança na China está "profundamente abalada" e laços com EUA em ascensão

12 jan 2021
09h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ministro das Relações Exteriores da Índia, Subrahmanyam Jaishankar, disse na terça-feira que a confiança em relação à China estava profundamente abalada após o confronto de fronteira em meados do ano passado que resultou nas primeiras mortes em combate em 45 anos.

Ministro das Relações Exteriores da Índia, Subrahmanyam Jaishankar, fala com a imprensa em Washington
18/12/2019 REUTERS/Joshua Roberts
Ministro das Relações Exteriores da Índia, Subrahmanyam Jaishankar, fala com a imprensa em Washington 18/12/2019 REUTERS/Joshua Roberts
Foto: Reuters

Os laços com os Estados Unidos, por outro lado, estavam convergindo e provavelmente vão se expandir sob a nova administração em Washington, afirmou o principal diplomata da Índia durante a conferência Reuters Next.

As tensões com a China explodiram em junho, quando 20 soldados indianos foram mortos em combates brutais, enquanto a China sofreu um número não especificado de vítimas no confronto em uma área disputada da fronteira no Himalaia ocidental.

Ambos os lados se mobilizaram fortemente na área contestada, e a escalada representa a crise militar mais séria entre os vizinhos com armas nucleares em décadas.

"Depois de 45 anos, ocorreu realmente um derramamento de sangue na fronteira. E isso teve um grande impacto na opinião pública e politicamente. ... realmente impactou a confiança na Índia no que diz respeito à China e seu relacionamento. Isso foi profundamente abalado", disse Jaishankar.

Várias rodadas de negociações militares e diplomáticas aconteceram, mas não houve recuo das forças da linha de frente. A Índia espera que as negociações levem a uma solução amigável, disse o chefe do Exército indiano, Manoj Mukund Narvane, na terça-feira.

Veja também:

O menino cego de 9 anos que dá aula em escola destruída pela guerra no Iêmen
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade