PUBLICIDADE

Reino Unido aprova uso da vacina da Moderna contra covid-19

Ministério da Saúde britânico informou que acertou a compra de 10 milhões de doses adicionais da vacina

8 jan 2021 11h24
| atualizado às 11h31
ver comentários
Publicidade

O órgão regulador médico do Reino Unido aprovou nesta sexta-feira a vacina da Moderna contra covid-19, informou o Ministério da Saúde, acrescentando que acertou a compra de 10 milhões de doses adicionais da vacina.

21/12/2020
REUTERS/Eduardo Munoz/File Photo
21/12/2020 REUTERS/Eduardo Munoz/File Photo
Foto: Reuters

Agora o Reino Unido tem três vacinas contra Covid-19 aprovadas para uso, sendo que a da Pfizer/BioNTech e a desenvolvida pela Universidade de Oxford e AstraZeneca já estão sendo aplicadas.

Não se espera que a vacina da Moderna tenha participação na primeira fase do programa de vacinação do país. O Reino Unido soma agora 17 milhões de doses da vacina da Moderna encomendadas e os suprimentos começarão a ser entregues a partir do final de março, assim que a Moderna expandir sua capacidade de produção.

"Já vacinamos quase 1,5 milhão de pessoas em todo o Reino Unido e a vacina da Moderna nos permitirá acelerar nosso programa de vacinação assim que as doses estiverem disponíveis a partir da primavera", disse o ministro da Saúde, Matt Hancock.

O Reino Unido foi o primeiro a aprovar as vacinas da Pfizer e da AstraZeneca, em um esforço para intensificar seu plano de vacinação, mas ficou atrás de alguns outros países importantes em dar o sinal verde para a injeção da Moderna.

A vacina da Moderna foi 94% eficaz na prevenção da doença em testes clínicos em estágio avançado e já recebeu aprovação regulatória para uso nos Estados Unidos, Canadá, União Europeia e Israel.

O Reino Unido busca vacinar os idosos, os vulneráveis e os trabalhadores da linha de frente --cerca de 15 milhões de pessoas-- até meados de fevereiro, para aliviar um novo lockdown imposto após aumento nos casos diários.

Embora a vacina da Moderna não ajude a atingir essa meta, ela ajudará a atenuar as restrições de oferta que Hancock citou como sendo um fator limitante no programa de vacinação.

"Esta é uma excelente notícia e mais um pequeno conforto em meio aos enormes níveis de Covid-19 que circulam atualmente no Reino Unido", disse Michael Head, pesquisador sênior em saúde global da Universidade de Southampton.

"Quando essas vacinas da Moderna chegarem, elas ajudarão a aliviar quaisquer gargalos ou atrasos no programa (de vacinação)."

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade