0

May diz ter chorado pelo revés eleitoral no Reino Unido

13 jul 2017
08h54
atualizado às 10h47
  • separator
  • 2
  • comentários

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse ter derramado "uma lágrima" quando uma pesquisa de boca de urna revelou que ela havia perdido a maioria parlamentar na eleição antecipada de 8 de junho.

Primeira-ministra britânica, Theresa May, em Maidenhead, na Inglaterra 09/06/2017 REUTERS/Toby Melville
Primeira-ministra britânica, Theresa May, em Maidenhead, na Inglaterra 09/06/2017 REUTERS/Toby Melville
Foto: Reuters

May disse à rádio BBC que se sentiu "devastada" quando os resultados surgiram e mostraram que ela havia perdido a maioria, apesar de seu clamor para que os britânicos lhe dessem um mandato forte para negociar a desfiliação britânica da União Europeia, o chamado Brexit.

A premiê disse que sua campanha não foi "perfeita", mas que esperava que seu partido ampliasse sua maioria.

A premiê contou que seu marido, Philip, lhe comunicou o resultado da boca de urna e a abraçou para consolá-la.

"Quando o resultado chegou foi um choque completo", disse May. "Levou alguns minutos para entender o que aquilo estava me dizendo".

May enfrentou pedidos de renúncia de dentro e fora do governista Partido Conservador depois de perder a maioria em uma eleição que não precisava convocar e que mergulhou o Reino Unido em sua pior instabilidade política em décadas.

"Quando se chegou ao verdadeiro resultado, houve muitas pessoas dentro do partido que haviam estado muito próximas da campanha que ficaram genuinamente chocadas com o resultado quando ele surgiu", disse.

May disse que não cogitou renunciar e se recusou a responder quanto tempo mais irá permanecer no poder.

"Ainda vejo que há muito que precisamos fazer, e como primeira-ministra quero seguir com esse trabalho de mudar as vidas das pessoas para melhor", afirmou.

Veja também

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 2
  • comentários
publicidade