PUBLICIDADE

Premiê de Israel faz 1ª visita oficial ao Egito em uma década

13 set 2021 11h29
ver comentários
Publicidade

O primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, se encontrará com o presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, nesta segunda-feira para conversas sobre as relações israelo-palestinas e questões bilaterais, informou a Presidência egípcia, a primeira visita de um chefe de governo de Israel ao Egito em uma década.

Primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, durante reunião de gabinete em Jerusalém
12/09/2021 Abir Sultan/Pool via REUTERS
Primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, durante reunião de gabinete em Jerusalém 12/09/2021 Abir Sultan/Pool via REUTERS
Foto: Reuters

Bennett, chefe de um partido de extrema-direita que tomou posse em junho, foi convidado por Sisi no mês passado, e os dois devem se reunir em Sharm el-Sheikh, estância do Mar Vermelho situada no extremo sul da península egípcia do Sinai.

Acredita-se que os debates cobrirão "meios e esforços para ressuscitar o processo de paz" entre Israel e os palestinos, disse a Presidência egípcia em um comunicado, além de temas bilaterais e regionais.

As conversas de paz israelo-palestinas travaram em 2014, e analistas dizem haver pouca possibilidade de retomá-las. Bennett, nacionalista à frente de uma coalizão pluripartidária, é contrário a um Estado palestino.

Um dos focos das conversas desta segunda-feira será a situação na Faixa de Gaza, onde o Egito ajudou a mediar um cessar-fogo em maio depois de 11 dias de conflito entre Israel e o Hamas, a facção palestina que controla o enclave, disseram fontes diplomáticas e de segurança.

Um aumento da violência fronteiriça desde o final de agosto testa a trégua frágil. Ao longo da semana passada, militantes palestinos lançaram foguetes contra Israel durante três noites consecutivas, atraindo ataques aéreos israelenses.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade