PUBLICIDADE

Mundo

Porta-aviões chinês passa perto das Filipinas a caminho de exercícios no Pacífico, diz Taiwan

10 jul 2024 - 11h08
Compartilhar
Exibir comentários

O porta-aviões chinês Shandong passou perto do norte das Filipinas a caminho de exercícios no Pacífico, disse o ministro da Defesa de Taiwan nesta quarta-feira, quando Taipé informou que dezenas de aviões de guerra se juntaram ao navio para os exercícios.

As manobras do porta-aviões em águas mais próximas das Filipinas do que de Taiwan ocorrem em um período de tensões crescentes entre Pequim e Manila sobre disputas territoriais no Mar do Sul da China.

Taiwan, que a China reivindica como seu próprio território, mantém uma vigilância rigorosa sobre todos os movimentos chineses, dada a atividade militar diária em torno da ilha.

O Ministério da Defesa de Taiwan disse que, a partir da madrugada de quarta-feira, detectou 36 aeronaves militares chinesas, incluindo caças J-16 e bombardeiros H-6 com capacidade nuclear, voando para o sul e sudeste da ilha em direção ao Pacífico Ocidental para realizar exercícios com o Shandong.

Falando a repórteres no Parlamento pouco antes de seu ministério anunciar detalhes da mais recente missão do Shandong, encomendado pela China em 2019, o ministro da Defesa de Taiwan, Wellington Koo, disse que eles tinham uma "compreensão total" dos movimentos do navio.

"O navio não passou pelo Canal Bashi", afirmou ele, referindo-se à hidrovia que separa Taiwan das Filipinas e é a rota usual dos navios de guerra e aviões de guerra chineses quando se dirigem ao Pacífico.

"Ele foi mais ao sul, através do Canal Balintang, para o Pacífico Ocidental", acrescentou Koo, uma via navegável entre as ilhas Batanes e Babuyan, nas Filipinas.

O Ministério da Defesa da China não respondeu a um pedido de comentário.

Os militares das Filipinas disseram que estavam preocupados com o posicionamento do grupo de porta-aviões chinês.

"Enfatizamos a importância de manter a paz e a estabilidade na região e instamos todas as partes a aderirem às leis e normas internacionais", disse a porta-voz Francel Margareth Padilla.

As Filipinas estão atualmente envolvidas em um amargo impasse com a China sobre o disputado Second Thomas Shoal no Mar do Sul da China.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade