0

Partido espanhol Podemos aceita condição para acordo de coalizão com socialistas

19 jul 2019
16h14
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O líder do partido espanhol de esquerda Podemos disse nesta sexta-feira que está disposto a abdicar de um cargo em um governo de coalizão, o que pode destravar conversas sobre a partilha de poder com os socialistas do primeiro-ministro interino, Pedro Sánchez.        

O primeiro-ministro interino da Espanha, Pedro Sánchez, cumprimenta o líder do Podemos, Pablo Iglesias no Palácio Moncloa em Madri, na Espanha
07/05/2019
REUTERS/Juan Medina
O primeiro-ministro interino da Espanha, Pedro Sánchez, cumprimenta o líder do Podemos, Pablo Iglesias no Palácio Moncloa em Madri, na Espanha 07/05/2019 REUTERS/Juan Medina
Foto: Reuters

Sánchez, que obteve o maior número dos assentos mas não uma maioria em uma eleição parlamentar de abril, espera tomar posse como premiê após uma votação no Legislativo na próxima semana, mas mesmo com o apoio do Podemos ainda precisará de alguns votos adicionais de outros partidos.

Se perder a votação, uma contagem regressiva de dois meses começará até uma nova eleição ser realizada.

Na quinta-feira, Sánchez descartou ter o líder do Podemos, Pablo Iglesias, em seu gabinete, citando diferenças em temas como a maneira de lidar com a iniciativa separatista da Catalunha. Sánchez disse que propôs incluir outras pessoas qualificadas do Podemos, como a sigla solicitou.

O Podemos aceitou a condição de Sánchez nesta sexta-feira.

"Eu não deveria ser a desculpa dos socialistas para justificar por que não haverá uma coalizão com a esquerda. Eu estar ou não no gabinete não será um problema contanto que não haja mais vetos e a presença do Podemos no governo reflita os votos que recebemos", tuitou Iglesias.

Após o anúncio de Iglesias, fontes socialistas disseram que um acordo entre os dois partidos é possível, mas enfatizaram que Sánchez é quem escolherá sua equipe de governo.

"Sem vetos ou imposições podemos chegar a um acordo. O primeiro-ministro ouvirá as propostas e decidirá a equipe. Vamos começar com o conteúdo. Primeiro o programa, e depois o governo", disse uma das fontes.

Uma aliança dos socialistas com o Podemos, seu aliado político mais natural, deixaria Sánchez muito próximo da maioria parlamentar que necessita.

O Podemos quer alguns ministérios cruciais em qualquer coalizão de governo, mas Sánchez só ofereceu postos de baixo escalão.

Veja também:

Explosão no Líbano: BBC visita epicentro do desastre no porto de Beirute
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade