Partido de extrema-direita é colocado sob observação na Alemanha

Serviço federal, porém, não irá monitorar deputados eleitos

3 mar 2021
09h35 atualizado às 09h44
0comentários
09h35 atualizado às 09h44
Publicidade

O Serviço Federal de Proteção da Constituição (BfV) colocou o partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD) sob observação e classificou a sigla de "caso suspeito" por extremismo, informam diversos veículos da mídia alemã nesta quarta-feira (3).

A medida coloca o AfD como 'caso suspeito' de extremismo
A medida coloca o AfD como 'caso suspeito' de extremismo
Foto: EPA / Ansa - Brasil

Com a classificação, o órgão poderá monitorar - através dos serviços de inteligência - tanto o trabalho partidário como de seus membros, além de acessar informes internos da sigla.

Em janeiro, a seção jovem do AfD já havia sido enquadrada pelo serviço e havia monitoramento em quatro estados do país.

Conforme as informações da mídia local, a decisão foi tomada com base em um relatório de mil páginas que foi feito por advogados e especialistas no risco de extremismo com informações coletadas desde 2019.

Segundo o jornal "Der Spiegel", porém, nesse primeiro momento, o BfV não vai monitorar os políticos eleitos em nível regional, federal e europeu, e nem os candidatos das regionais que serão realizadas neste ano. Ainda de acordo com o portal, os líderes dos maiores partidos do país aprovaram a decisão por considerar que o AfD "vive de ódio de agitação".

Já o "Süddeutsche Zeitung" informou que os líderes da sigla já sabiam do monitoramento desde 25 de fevereiro, mas que se recusaram a comentar a decisão tomada pelo órgão federal. Além disso, o site ressalta que deve ser feita "em breve" uma coletiva confirmando a medida, mas que há semanas líderes do partido estão entrando com recursos judiciais para que a informação não seja divulgada de maneira oficial.

O AfD, apesar de estar perdendo força nos últimos anos, é a principal sigla ultranacionalista da Alemanha e tem representantes em todos os estados do país. Famosos por atacarem as políticas de acolhimento de migrantes e por atos xenófobos e racistas, os membros do partido também se organizaram para liderar os protestos contra as medidas de restrições adotadas para enfrentar a pandemia de Covid-19 no ano passado.

Esse é o segundo partido na história recente alemã a ser monitorado. Entre os anos de 2007 a 2014, quem passou pelo crivo do BfV foi a sigla de extrema-esquerda Die Linke. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade