PUBLICIDADE

Papa diz que se informar corretamente é um 'direito humano'

Francisco pediu para que notícias cheguem aos mais vulneráveis

28 jan 2022 09h14
| atualizado às 09h35
ver comentários
Publicidade

O papa Francisco disse em uma audiência com jornalistas nesta sexta-feira (28) que se informar corretamente é um "direito humano".

Papa Francisco participou de uma audiência com jornalistas
Papa Francisco participou de uma audiência com jornalistas
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Em suas declarações aos participantes do encontro, que foi promovido pelo consórcio internacional "Catholic fact-checking", o líder da Igreja Católica pediu para que as informações corretas também possam alcançar as pessoas mais "vulneráveis".

"Estar devidamente informado e ser ajudado a compreender uma informação com base em dados científicos e não em fake news, é um direito humano. A informação correta também deve ser garantida aos que têm menos meios, aos mais fracos e vulneráveis", disse o Papa.

O Pontífice ainda destacou que a busca pela verdade não pode se render a "perspectivas comerciais" e nem "aos interesses dos poderosos".

"Não podemos nos cansar de checar as notícias e de apresentar os dados adequadamente. A busca pela verdade não pode se curvar a uma perspectiva comercial, aos interesses dos poderosos e nem aos grandes interesses econômicos. O antídoto para qualquer tipo de falsificação é se deixar purificar pela verdade", afirmou o líder religioso.

O Papa ainda destacou aos profissionais do consórcio que as informações corretas sobre as vacinas contra o novo coronavírus são necessárias.

"Tentemos trabalhar pela informação correta e verdadeira sobre a Covid-19 e as vacinas, mas sem cavar valas. A pandemia nos convida a abrir os olhos para o que é essencial, portanto, vamos estar juntos a favor e nunca contra. As fake news devem ser combatidas, mas é necessário respeitar sempre as pessoas, que muitas vezes aderem a elas sem aviso e responsabilidade", finalizou. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade