PUBLICIDADE

Papa condena ataque em shopping e pede diálogo na Ucrânia

Pontífice lamentou mais um 'bárbaro ataque' na guerra

29 jun 2022 - 09h18
(atualizado às 09h30)
Ver comentários
Publicidade

O papa Francisco voltou a falar sobre a guerra na Ucrânia durante o Angelus realizado nesta quarta-feira (29) pela solenidade católica dos santos Pedro e Paulo e condenou o ataque realizado contra um shopping em Kremenchuk.

"Carrego a cada dia no coração a querida e martirizada Ucrânia, que continua a ser flagelada por ataques bárbaros, como aquele que atingiu um shopping em Kremenchuk. Rezo para que essa louca guerra chegue logo ao fim e renovo o convite para perseverar, sem descanso, nas orações pela paz", disse aos fiéis ao fim da celebração.

A ação militar russa contra o centro comercial deixou ao menos 20 mortos e quase 60 feridos na última segunda-feira (27).

Francisco ainda voltou a pedir que "o Senhor abra os caminhos do diálogo nos homens que não o querem ou não conseguem encontrar" as vias para a conversa e para que "não cesse em socorrer a população ucraniana tão sofredora".

A guerra ucraniana vem marcando os discursos e as orações de Francisco de maneira constante desde novembro do ano passado, quando a tensão por uma possível guerra estava em seu ápice.

Desde o início da invasão da Rússia, em 24 de fevereiro, essas referências foram ampliadas.

O próprio Papa desejava visitar tanto Kiev como Moscou como um sinal de paz, mas o governo russo não respondeu os pedidos formais de visita do Vaticano. Os ucranianos, por sua vez, concordaram com a ida de Francisco o quanto antes. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade