0

Pantanal bate recorde de focos de incêndio em setembro, diz Inpe

Foram 8.106 pontos de calor, maior número registrado em um mês

1 out 2020
12h20
atualizado às 12h35
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Pantanal registrou 8.106 focos de incêndio no mês de setembro, informou o Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) nesta quinta-feira (1º). O número é recorde na comparação com todos os meses desde 1998, quando o monitoramento começou, e supera o recorde de até então: em agosto de 2005, foram 5.933 focos de calor.

Além disso, o órgão do governo federal confirmou as queimadas e incêndios de 2020 já superam todo o ano de 2019 - a três meses do fim do ano.

São 18.259 focos de fogo no Pantanal entre 1º de janeiro e 30 de setembro. Nos 12 meses de 2019, foram 10.025. O recorde anterior também era de 2005, quando 12.536 queimadas foram registradas.

O Inpe lembra que setembro é um mês que costuma registrar mais queimadas do que os demais, mas na comparação com a média entre 1998 e 2019, esse número é de 1.944 focos - muito distante do que foi contabilizado em 2020.

- Amazônia:

O Inpe também atualizou os números da Amazônia, que registrou 32.017 focos de incêndios em setembro desse ano - alta de 61% na comparação com setembro de 2019, quando foram 19.925.

No entanto, o número ficou abaixo da média histórica para setembro, que é de 32.812 pontos de calor. O recorde para queimadas no período é de 2007, quando 73.141 focos foram contabilizados.

Considerando todos os biomas brasileiros, o país teve 76.030 focos de incêndio até 30 de setembro, um número maior do que o somado em todo o ano passado, quando foram 66.749. .
   

Veja também:

O que o muro de Trump diz sobre a eleição dos EUA
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade