0

Pandemia fora de controle exige medidas drásticas, diz ministro espanhol

22 out 2020
09h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Espanha precisa de medidas drásticas para combater uma nova onda da pandemia de coronavírus fora de controle e está cogitando novas restrições, inclusive toques de recolher, disse o ministro da Saúde, Salvador Illa, nesta quinta-feira.

Ministro da Saúde da Espanha, Salvador Illa, chega para reunião de gabinete em Madri
14/01/2020 REUTERS/Susana Vera
Ministro da Saúde da Espanha, Salvador Illa, chega para reunião de gabinete em Madri 14/01/2020 REUTERS/Susana Vera
Foto: Reuters

Illa fará uma videoconferência com chefes de saúde regionais na noite desta quinta-feira para combinar as novas medidas. Na quarta-feira, a Espanha se tornou o primeiro país da Europa Ocidental a registrar mais de um milhão de casos do vírus.

"A segunda onda é uma realidade. Em muitas áreas do nosso país, a epidemia está fora de controle", disse Illa à rádio Onda Cero.

"Insisto que temos que adotar medidas drásticas, como fazem várias regiões", disse. Diversas regiões estão defendendo toques de recolher localizados, como os implantados na França e em outros países europeus com taxas de infecção menores, disse.

Desesperadas para evitar uma repetição da primeira onda, quando o vírus devastou a população de idosos e sobrecarregou o serviço de saúde, várias regiões já adotaram medidas, como ordenar que os restaurantes fechem mais cedo do que o normal.

Mas como um lockdown de duas semanas em Madri e cidades vizinhas chega ao fim na sexta-feira e as taxas de contágio estão subindo, é preciso fazer mais, argumentou Illa.

"Estamos às portas do inverno, quando a maioria das atividades é realizada em áreas internas, quando a probabilidade de contágio do vírus é maior. Não podemos abaixar a guarda."

Veja também:

Massacre no deserto: famílias mórmons esperam por justiça
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade