0

Países da UE querem criar 'passaporte' para vacinados

Medida ainda não tem consenso entre os membros do bloco

26 fev 2021
12h32
atualizado em 1/3/2021 às 09h06
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Estados-membros da União Europeia estão pressionando o bloco a instituir um "passaporte sanitário" para permitir que apenas pessoas vacinadas contra o novo coronavírus viagem livremente dentro de suas fronteiras.

Área de desembarque do Aeroporto de Fiumicino, nos arredores de Roma
Área de desembarque do Aeroporto de Fiumicino, nos arredores de Roma
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

O tema foi discutido em reunião virtual dos líderes dos 27 países da UE nesta quinta-feira (25), mas ainda não há consenso. "Queremos um passaporte verde em nível europeu, com o qual se possa viajar livremente para negócios ou turismo", escreveu no Twitter o chanceler da Áustria, Sebastian Kurz.

A ideia conta com o apoio da Grécia e mira incentivar o turismo no próximo verão europeu, a partir do fim de junho. Outro defensor da medida é o polonês Donald Tusk, presidente do Partido Popular Europeu (PPE), dono da maior bancada no Europarlamento.

"Apoio plenamente o certificado de vacinação comum europeu", escreveu Tusk no Twitter. No entanto, países como Alemanha e Bélgica consideram essa discussão prematura, já que ainda existem poucos dados sobre a capacidade de pessoas vacinadas transmitirem o vírus.

Após a reunião desta quinta, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, defendeu que os 27 membros adotem uma abordagem única sobre a questão, mas disse que o desenvolvimento de um sistema comunitário para o passaporte sanitário exigiria pelo menos três meses.

Segundo ela, os líderes concordaram que esse certificado deve utilizar a "menor quantidade possível da dados" dos cidadãos. "Se não conseguirmos, iniciativas bilaterais podem criar ainda mais dificuldades", declarou Von der Leyen.

A chefe do Executivo da UE disse que o diálogo com os membros continuará em março, mas que o debate deve levar em conta tanto o risco de discriminação contra não-vacinados - principalmente em um contexto de escassez de doses - quanto a importância do turismo para muitos países.    

Veja também:

'A melhor vacina é a disponível': Por que não se pode comparar os imunizantes contra covid-19
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade