PUBLICIDADE

Painel da Câmara dos EUA intima empresas de mídia social em investigação sobre ataque de 6 de janeiro

13 jan 2022 19h54
ver comentários
Publicidade

O comitê da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos que investiga o ataque de 6 de janeiro ao Capitólio intimou Meta, Alphabet, Twitter e Reddit nesta quinta-feira, buscando informações sobre como suas plataformas de mídia social foram usadas para ajudar a alimentar a desinformação em uma tentativa fracassada de revogar a eleição presidencial de 2020.

06/01/2021
REUTERS/Leah Millis
06/01/2021 REUTERS/Leah Millis
Foto: Reuters

"Duas questões-chave para o Comitê Select são como a disseminação de desinformação e extremismo violento contribuíram para o ataque violento à nossa democracia, e quais medidas --se houver-- as empresas de mídia social tomaram para evitar que suas plataformas fossem terreno fértil para radicalizar as pessoas à violência", disse o presidente do Comitê Select da Câmara, deputado Bennie Thompson, em um comunicado.

"É decepcionante que, após meses de engajamento, ainda não tenhamos os documentos e as informações necessárias para responder a essas perguntas básicas."

As intimações são o mais recente desdobramento na investigação do painel sobre as causas do ataque ao Capitólio pelos apoiadores do então presidente Donald Trump, e o papel desempenhado por Trump, que promoveu falsas alegações de que teria perdido uma eleição fraudulenta para Joe Biden.

O comitê emitiu mais de 50 intimações e ouviu mais de 300 testemunhas. Espera-se que divulgue um relatório provisório no verão e um relatório final no outono do hemisfério norte.

Os porta-vozes das quatro empresas de mídia social não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

As plataformas de mídia social foram amplamente responsabilizadas por amplificar os apelos à violência e espalhar desinformação que contribuíram para a tentativa em 6 de janeiro de derrubar violentamente os resultados das eleições nos EUA.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade