0

Síria: bombas do governo matam 27 e deixam feridos em Aleppo

Segundo os Comitês de Coordenação Locais, os bombardeios deixaram 23 mortos em Bab e outras quatro vítimas em outras partes de Aleppo

25 dez 2014
09h35
atualizado às 11h30
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Homem corre num local atingido por um suposto ataque de for&ccedil;as leais ao presidente s&iacute;rio, Bashar al-Assad, em&nbsp;um bairro de Aleppo, na S&iacute;ria</p>
Homem corre num local atingido por um suposto ataque de forças leais ao presidente sírio, Bashar al-Assad, em um bairro de Aleppo, na Síria
Foto: Hosam Katan / Reuters

Dezenas de pessoas morreram e ficaram feridas na província de Aleppo, no norte da Síria, em vários bombardeios lançados pela aviação do regime sírio, informou nesta quinta-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

A ONG, que não detalhou o número de vítimas nem sua filiação, explicou que aviões militares lançaram seis ataques desde ontem à noite contra a cidade de Bab e a cidade de Qabasyn, no nordeste de Aleppo e nas mãos do grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

Segundo os Comitês de Coordenação Locais (LCC), os bombardeios deixaram 23 mortos em Bab e outras quatro vítimas em outras partes de Aleppo. Na semana passada, o OSDH, que mantém uma ampla rede de ativistas no terreno, informou que o exército sírio tinha aumentado seus ataques aéreos.

Segundo os dados da ONG, nos dois últimos meses o regime de Bashar al Assad lançou 2.973 bombardeios nas províncias do país que causaram pelo menos 735 mortes.

Sofreram com estes bombardeios Deir ez Zor, Aleppo, Idlib, Al Hasaka e Al Raqqah, no norte; Deraa e Al Quneitra, no sul; Homs e Hama, no centro; Latakia, no oeste, e Damasco e sua periferia.

Mais de 200 mil pessoas já morreram desde o início do conflito na Síria em março de 2011, segundo a ONU.

Veja também:

'Estamos nos humilhando para viver': as cenas da luta por oxigênio em Manaus
EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade