PUBLICIDADE

Ahmadinejad defende papel de Irã e Iraque na segurança regional

18 jul 2013 15h55
| atualizado às 16h10
ver comentários
Publicidade
Mahmud Ahmadinejad chegou ao Iraque nesta quinta-feira para uma visita de dois dias
Mahmud Ahmadinejad chegou ao Iraque nesta quinta-feira para uma visita de dois dias
Foto: AP

O presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, considerou nesta quinta-feira, em sua chegada a Bagdá para uma visita de dois dias, que seu país e o Iraque continuam a ter um papel de destaque na segurança da região.

"O papel dos dois países na promoção da cultura e da segurança na região é excepcional", declarou Ahmadinejad durante uma coletiva de imprensa conjunta com o vice-presidente iraquiano Khuzaye al-Khudayr.

Irã e Iraque são "portadores de uma mensagem, que é uma mensagem de progresso, de estabilidade e segurança, e também uma mensagem de paz", acrescentou o presidente iraniano, que deixará o poder no próximo mês. No entanto, ele não mencionou o que poderia ser a cooperação entre os dois em termos de segurança.

Khuzaye, que substituiu o presidente Jalal Talabani, ausente há vários meses para um tratamento médico no exterior, considerou, por sua vez, que "as boas relações" entre Irã e Iraque "terão um efeito positivo sobre a região como um todo".

"Acreditamos que podemos ser uma ponte de paz entre a República Islâmica e o mundo árabe a que pertencemos", acrescentou o líder iraquiano.

Durante à noite, Ahmadinejad se reuniu com o primeiro-ministro Nuri al-Maliki, que fez um apelo às empresas iranianas para que participem da reconstrução do seu país, segundo um comunicado do governo iraquiano. "O Iraque apoia soluções pacíficas para todos os problemas da região", declarou Maliki.

O presidente iraquiano deve visitar na sexta-feira dois locais sagrados do xiismo, os túmulos do imã Hussein em Kerbala e do imã Ali em Najaf, no sul do país.

Os dois países vizinhos travaram uma guerra sangrenta durante oito anos, após o ataque do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein contra o Irã em setembro de 1980. Mas eles têm se aproximado desde que o governo iraquiano passou a ser integrado por uma maioria xiita.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade
Publicidade