PUBLICIDADE

OMS: é um "claro problema" países mais pobres ainda não terem vacina contra Covid-19

8 jan 2021 15h31
| atualizado às 15h36
ver comentários
Publicidade

O chefe da Organização Mundial da Saúde disse nesta sexta-feira que há um "claro problema" no fato de países de baixa e média renda ainda não estarem recebendo suprimentos de vacinas contra Covid-19.

Prédio da OMS em Genebra
06/02/2020
REUTERS/Denis Balibouse
Prédio da OMS em Genebra 06/02/2020 REUTERS/Denis Balibouse
Foto: Reuters

"Os países ricos têm a maior parte do suprimento", afirmou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em uma entrevista coletiva em Genebra, acrescentando que pediu aos países e fabricantes que parem de fazer acordos bilaterais à custa da aliança global de vacinação Covax.

A OMS disse nesta semana que a aliança Covax arrecadou 6 bilhões dos 7 bilhões de dólares que buscava em 2021 para ajudar a financiar entregas a 92 países em desenvolvimento com meios limitados ou nenhum meio de comprar vacinas por conta própria.

Até agora, as nações mais ricas, incluindo Reino Unido, membros da União Europeia, Estados Unidos, Suíça e Israel, estão à frente da fila para entregas de vacinas de empresas como Pfizer e a parceira BioNTech, Moderna e AstraZeneca.

Quase 88 milhões de pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus em todo o mundo e cerca de 1,9 milhão morreram, de acordo com uma contagem da Reuters.

As infecções foram relatadas em mais de 210 países e territórios desde que os primeiros casos foram identificados na China em dezembro de 2019.

Os casos aumentaram em muitos países nas últimas semanas, e Tedros disse que as pessoas precisam cumprir as restrições e regras de distanciamento social para controlar o avanço.

"O vírus está se espalhando em taxas alarmantes em alguns países", afirmou ele. "O problema é que não obedecer um pouco se torna um hábito. Não obedecer dá ao vírus oportunidades de se espalhar."

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade