2 eventos ao vivo

Número de mortos em tsunami na Indonésia passa de 1,4 mil

Ilha de Sulawesi ainda registrou a erupção de um vulcão

3 out 2018
08h56
atualizado às 11h55
  • separator
  • 0
  • comentários

O número de mortos no terremoto e no subsequente tsunami que atingiram na última sexta-feira (28) a ilha de Sulawesi, na região central da Indonésia, subiu para 1.407, segundo as autoridades locais.

O balanço de vítimas deve continuar aumentando, já que centenas de corpos ainda estão sob os escombros ou desaparecidos. A cidade de Palu, a mais afetada pela tragédia, possui áreas em que as equipes de resgate não conseguiram acessar.

Para ajudar na busca por sobreviventes, o governo da Austrália informou que enviará mais de 50 médicos à Indonésia, como parte de um pacote de ajuda de US$ 3,6 milhões.

Vista aérea do sub-distrito de Petobo, em Palu, na Indonésia
Vista aérea do sub-distrito de Petobo, em Palu, na Indonésia
Foto: Muhammad Adimaja / Reuters

"Trabalharemos de perto com o governo indonésio para garantir que o apoio que estamos oferecendo seja altamente direcionado", informou a ministra das Relações Exteriores da Austrália, Marise Payne.

A Organização das Nações Unidas (ONU), por sua vez, relatou que as "necessidades são enormes" na Indonésia, com as pessoas exigindo abrigo, água potável, alimentos, combustível e atendimento médico de emergência.

Os sobreviventes já estão sendo evacuados da região afetada pelo terremoto e pelo tsunami. Um avião de transporte militar levou dezenas de pessoas, principalmente feridos que precisavam de mais cuidados, para uma área segura. Fontes oficiais afirmaram que sete aeronaves estão prontas para realizar os trabalhos de evacuação.

Erupção

Para piorar a situação do país asiático, o vulcão Soputan, também localizado na província de Sulawesi, entrou em erupção nesta quarta-feira (3). O fenômeno formou uma coluna de fumaça e cinzas que atingiram uma altura de quase 6 mil metros.

As autoridades locais aconselharam a população a evitar uma área de até 6,5 quilômetros a sudoeste do vulcão. Elas também alertaram os controladores de tráfego aéreo sobre os riscos ocasionados pela nuvem de cinzas.

Para piorar a situação do país asiático, o vulcão Soputan, também localizado na província de Sulawesi, entrou em erupção nesta quarta-feira (3)
Para piorar a situação do país asiático, o vulcão Soputan, também localizado na província de Sulawesi, entrou em erupção nesta quarta-feira (3)
Foto: Reuters

Um vulcanologista do governo afirmou que é possível que a erupção tenha sido causada pelo terremoto de magnitude 7.5 na escala Richter que atingiu a região, o mesmo que foi responsável pelo tsunami.

"Pode ser que este terremoto tenha desencadeado a erupção, mas temos visto uma elevação na atividade vulcânica desde julho, e isso começou a aumentar na segunda-feira. Mas ainda não podemos dizer que há uma ligação direta, já que a montanha está muito distante", afirmou.

O porta-voz da agência nacional para desastres, Sutopo Purwo Nugroho, disse que as cinzas provocadas pelo Soputan não estão indo para a cidade de Palu e não afetarão o trabalho das equipes de resgate.

As autoridades locais aconselharam a população a evitar uma área de até 6,5 quilômetros a sudoeste do vulcão; elas também alertaram os controladores de tráfego aéreo sobre os riscos ocasionados pela nuvem de cinzas
As autoridades locais aconselharam a população a evitar uma área de até 6,5 quilômetros a sudoeste do vulcão; elas também alertaram os controladores de tráfego aéreo sobre os riscos ocasionados pela nuvem de cinzas
Foto: Reuters

Nugroho também denunciou alguns vídeos falsos que estão circulando nas redes sociais sobre a erupção. Neles, indonésios aparecem fugindo de uma grande fumaça negra e de um longo rio de lava.

A Indonésia é um arquipélago de mais de 250 milhões de pessoas, e os sismólogos do governo monitoram mais de 120 vulcões ativos. O país fica em uma região conhecida como "Círculo de Fogo do Pacífico", por causa de sua intensa atividade sísmica e vulcânica.

Veja também:

A Caminhada da Vergonha de verdade, na Indonesia

 

Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade