0

Nova Zelândia declara 'estado de emergência climática'

Os parlamentares aprovaram a declaração com 76 votos favoráveis

2 dez 2020
15h12
atualizado às 17h05
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, declarou nesta quarta-feira (2) um "estado de emergência climática" no país, em uma medida simbólica para aumentar a pressão pelo combate ao aquecimento global.

Os parlamentares aprovaram a declaração com 76 votos favoráveis
Os parlamentares aprovaram a declaração com 76 votos favoráveis
Foto: EPA / Ansa - Brasil

Em pronunciamento, a líder de centro-esquerda disse que a ciência sobre a mudança climática é clara e que a Nova Zelândia deve reconhecer a ameaça. Ela afirmou ao Parlamento que a ação urgente é necessária para bem das próximas gerações.

Segundo Ardern, os desafios impostos pelo aquecimento global significam que a declaração do Parlamento - um ato realizado por mais de 30 países - é justificada.

"Nos casos em que fazemos declarações, muitas vezes é onde há uma ameaça à vida, uma ameaça à propriedade e emergências de Defesa Civil", afirmou ela, ressaltando que, se não respondermos às mudanças climáticas, continuaremos tendo essas emergências em nossas costas".

Durante seu discurso, a primeira-ministra neozelandesa abordou os reflexos negativos da deterioração do clima nas indústrias primárias, na disponibilidade de água e saúde pública, principalmente materializada em enchentes, aumento do nível do mar e incêndios florestais.

Além disso, Ardern reconheceu uma tendência alarmante do declínio das espécies e da biodiversidade global e do país. "Vote a favor desta declaração, esteja ao lado certo da história, seja parte da solução que devemos entregar coletivamente para a próxima geração", enfatizou.

Os parlamentares aprovaram a declaração de emergência amplamente simbólica por um placar de 76 votos favoráveis contra 43, depois que a premiê os incentivou a apoiar a medida.

Ardern voltou ao poder no mês passado com a maior vitória eleitoral de seu Partido Trabalhista de centro-esquerda em meio século. Em seu último mandato, seu governo aprovou uma Lei de Carbono Zero, que estabelece a estrutura para zerar as emissões líquidas até 2050.

Com a decisão desta quarta, a Nova Zelândia se junta a outros países que decretaram a situação emergencial. O parlamento britânico se tornou o primeiro no mundo a declarar uma emergência climática, ao aprovar uma moção em maio do ano passado, seguido pela Irlanda.

Veja também:

Cadeirante escala arranha-céu em Hong Kong em troca de doações para caridade
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade