0

Milão tem mais de mil casos de Covid em 24h e entra em alerta

Governo estuda anunciar novas medidas restritivas na cidade

16 out 2020
17h05
atualizado às 17h35
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Nos últimos dias, os números do novo coronavírus em Milão estão preocupando cada vez mais as autoridades da cidade italiana. Nesta sexta-feira (16), foram registrados 1.319 casos de Covid-19 em um período de 24 horas, o equivalente a mais da metade das infecções contabilizadas em toda a região da Lombardia (2.419).

Governo estuda anunciar novas medidas restritivas na cidade
Governo estuda anunciar novas medidas restritivas na cidade
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

A situação já é considerada muito grave tanto pela administração local quanto pelo governo regional. A preocupação se dá porque, mesmo durante o pico da pandemia, Milão não havia contabilizado um número tão elevado de novos casos em um só dia. O recorde foi de 480, em 22 de abril.

Segundo o prefeito Giuseppe Sala, o índice de transmissão (Rt) está superior a 2, uma taxa bastante elevada e bem acima do limite de 1, considerando o nível de alerta e igual ao valor médio nacional calculado pelo Instituto Superior de Saúde (ISS), em seu último relatório.

Como medida de prevenção, os prontos-socorros dos hospitais Sacco e Fatebenefratelli decidiram atender apenas pessoas infectadas e encaminhar pacientes com outras patologias para outros hospitais da cidade. A decisão foi tomada para proteger os pacientes não afetados pela Covid-19 e ainda garantir-lhes assistência médica.

O crescimento na quantidade de contágios também tem deixado outros hospitais do município em alerta, que se preparam para a segunda onda da doença.

Apesar de estar realizando mais testes para detectar a Covid, os dados elevados têm feito a prefeitura de Milão pensar em introduzir novas medidas restritivas, que também poderiam ser adotadas em outras áreas da Lombardia.

O governador da Lombardia, Attilio Fontana, por sua vez, anunciou hoje que "as novas medidas não serão dramáticas". "Os lombardos podem ficar menos preocupados, mas devem estar atentos às medidas, caso contrário corre-se o risco de a pandemia se degenerar".

Entre as regras que podem ser anunciadas na região estão, em particular, a introdução do ensino à distância nas escolas para diminuir a população no transporte público, além da proibição do consumo de bebidas em áreas públicas após um determinado horário, restrições em reuniões e eventos, entre outras.

O prefeito da província de Milão, Renato Saccone, no entanto, descartou a possibilidade de decretar um toque de recolher na área, porque a vida dos italianos "não depende apenas da abertura de um bar e de um restaurante".

Além disso, o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, afirmou que não deve ser decretado um novo lockdown em Milão. "Neste momento devemos, antes de tudo, colocar a nossa confiança no comportamento de todos os cidadãos porque essa é a nossa força", afirmou, ao término do Conselho Europeu.

Veja também:

Os fatores por trás da popularidade de Jacinda Ardern, reeleita com folga premiê da Nova Zelândia
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade