0

Merkel quebra protocolo ao recepcionar primeira-ministra da Dinamarca após tremores

11 jul 2019
08h39
  • separator
  • 0
  • comentários

A chanceler alemã, Angela Merkel, recepcionou sentada a primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen, nesta quinta-feira, um dia após apresentar novos tremores enquanto estava de pé em outra cerimônia oficial.

Chanceler alemã, Angela Merkel, durante recepção à premiê da Dinamarca, Mette Frederiksen, em Berlim
11/07/2019
REUTERS/Hannibal Hanschke
Chanceler alemã, Angela Merkel, durante recepção à premiê da Dinamarca, Mette Frederiksen, em Berlim 11/07/2019 REUTERS/Hannibal Hanschke
Foto: Reuters

Frederiksen sentou-se ao lado de Merkel durante a cerimônia de recepção com honras militares em um dia quente de Berlim, antes de as duas caminharem em direção ao gabinete da chanceler. Merkel sorria, sem demonstrar sinais de tremores.

Após recepcionar o primeiro-ministro da Finlândia, Antti Rinne, na quarta-feira, Merkel disse que estava "lidando" com a questão dos tremores que ocorreram pela primeira vez em meados de junho, mas insistiu que estava bem e "assim como isso aconteceu um dia, irá desaparecer".

A chanceler, de 64 anos, ocupa o cargo desde 2005 e não apresenta histórico de problemas graves de saúde. Seu gabinete não forneceu explicações para os episódios. Na quarta-feira, ela não deu detalhes sobre quaisquer recomendações ou tratamentos médicos.

Especialistas minimizaram as especulações sobre os tremores, dizendo que há múltiplas causas possíveis.

Merkel é reconhecida por sua ética e tem a reputação de superar outros líderes nas cúpulas da UE com sua capacidade de se concentrar nos detalhes de discussões complexas no meio da noite.

Em novembro de 2016, quando anunciado que tentaria um quarto mandato como chanceler, Merkel disse que era "uma decisão não só para uma campanha eleitoral, mas sobre os próximos quatro anos... se a saúde permitir isso".

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade