0

Matérias sobre assédio em Hollywood ganham prêmio Pulitzer

"NYT" e "New Yorker" venceram na categoria "Serviço Público"

16 abr 2018
18h08
atualizado às 18h53
  • separator
  • comentários

As reportagens sobre os abusos sexuais em Hollywood ganharam o Prêmio Pulitzer de Jornalismo, nesta segunda-feira (16).

Matérias sobre assédio em Hollywood ganham prêmio Pulitzer
Matérias sobre assédio em Hollywood ganham prêmio Pulitzer
Foto: EPA / Ansa - Brasil

As matérias premiadas foram feitas pelo jornal norte-americano "The New York Times" e pela revista "The New Yorker", que denunciaram os abusos cometidos pelo ex-produtor Harvey Weinstein. Ambos os veículos foram reconhecidos na categoria "Serviço Público" do Pulitzer.

Os ganhadores foram anunciados na Universidade Columbia e "mostram a força do jornalismo durante um período de crescentes ataques", disse Dana Harvey, administradora do "Oscar" da imprensa.

Outros destaques do Pulitzer foram os reconhecimentos de melhor "Reportagem Explicativa", concedidos ao "Arizona Republic" e ao "USA Today" por suas matérias sobre os impactos da construção do muro na fronteira dos Estados Unidos com o México.

Já na categoria "Reportagem Nacional", o prêmio foi para o "New York Times" e o "Washington Post", pelas reportagens sobre a interferência russa na eleição presidencial norte-americana de 2016.

E o prêmio de melhor "Reportagem Internacional" ficou com a agência "Reuters", que denunciou os assassinatos ocorridos durante a "guerra às drogas" do presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte.

Além disso, na categoria "Música", um cantor pop levou a premiação para casa pela primeira vez, o norte-americano Kendrick Lamar, por "Damn".

Confira a lista completa de vencedores

Jornalismo

Serviço Público: "The New York Times" e "The New Yorker" - Abusos sexuais em Hollywood

Furo de reportagem: "The Press-Democrat" - Incêndios em Santa Rosa, Califórnia

Reportagem Investigativa: "The Washington Post" - Corrida eleitoral de senadores no Alabama

Reportagem Explicativa: "The Arizona Republic" e "USA Today" - Impactos da construção do muro na fronteira entre Estados Unidos e México

Reportagem Local: "National Enquirer" - Epidemia de heroína em Cincinnati

Reportagem Nacional: "The New York Times" e "The Washington Post" - Interferência russa nas eleições presidenciais norte-americanas em 2016

Reportagem Internacional: "Reuters" - Assassinatos por trás da campanha contra drogas e armas do presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte.

Reportagem Independente: Rachel Kaadzi Ghansah para a "GQ" - Assassinato de Dylan Roof

Comentário: "Alabama Media Group" - Comentários políticos sobre o Alabama de repercussão nacional

Crítica: "New York Magazine" - Perspectiva sobre arte visual na América do Norte

Editorial: "The Des Moines Register" - Análise da pobreza em Iowa

Cartoon Editorial: "The New York Times" - Cartoon sobre a vida de famílias de refugiados

Furo fotográfico: "The Daily Progress" - Atropelamento durante protestos contra o racismo em Charlottesville

Fotografia independente: "Reuters" - Violência contra refugiados rohingyas

Literatura, Drama e Música

Ficção: "Less", de Andrew Sean Greeer

Drama: "Cost of Living", de Martyna Majok

História: "The Gulf: The Making of an American Sea", de Jack E. Davis

Biografia: "Prairie Fires: The American Dreams of Laura Ingalls Wilder", de Caroline Fraser

Poesia: "Half-Light: Collected Poems 1965 - 2016", de Frank Bidart

Não Ficção Geral: "Locking up our own: Crime and Punishment in Black America", de James Forman Jr.

Música: "Damn", de Kendrick Lamar

Foto premiada com o Pulitzer de refugiados rohingya a caminho de Bangladesh 
 12/11/2017    REUTERS/Mohammad Ponir Hossain
Foto premiada com o Pulitzer de refugiados rohingya a caminho de Bangladesh 12/11/2017 REUTERS/Mohammad Ponir Hossain
Foto: Reuters

Ansa - Brasil   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade