PUBLICIDADE

Manifestantes protestam contra uso de passe sanitário na Itália

24 jul 2021 15h04
| atualizado às 15h19
ver comentários
Publicidade

Milhares de pessoas se reúnem neste sábado (24) em diversas cidades da Itália para protestar contra a exigência de um certificado de cura da Covid-19 ou exame negativo para acessar algumas atividades de lazer, incluindo bares e restaurantes.

Do Vale de Aosta a Ragusa, no sul do país, os manifestantes saíram às ruas também de Roma, Bolzano, Florença, Nápoles, entre outros municípios, após uma iniciativa ser lançada nas redes sociais pelo movimento nacional "No green pass".

Em Roma, cerca de três mil pessoas, a maioria sem máscaras de proteção, se concentraram na piazza del Popolo, no centro da capital da italiana, sob os gritos de "Não ao passe verde" e "Liberdade".

Tumultos no meio da multidão foram registrados, mas a polícia interveio e dispersou o grupo. "A praça está enchendo. Diante dos falsos juízes, dos falsos advogados. Esta é a resposta. Ninguém precisa baixar o passe verde. Lutamos pelos nossos compatriotas", enfatizou no megafone Giuliano Castellino, um dos organizadores do ato.

Alguns dos participantes alegam não ser contra a vacinação, mas ressalta que o passe verde é "prejudicial para a economia" e "muitos correm o risco de fracassar".

Em Florença, o ato acontece na Piazza della Signoria e está repleto de faixas com as frases: "Passe verde? Não, obrigado", "No meu corpo eu decido" e "Por uma verdadeira democracia".

Os protestos foram convocados depois que o governo italiano anunciou que, a partir de 6 de agosto, os habitantes do país terão de apresentar o certificado para acessar mesas em áreas fechadas de bares e restaurantes, além de espetáculos ao ar livre, centros termais, piscinas públicas, academias, feiras, congressos, concursos, teatros e cinemas.

Apesar de contestada, a medida provocou um "boom" nos agendamentos para a vacinação anti-Covid na maior parte das regiões da Itália.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade