0

Malásia envia 500 mil máscaras a Estado atingido por névoa devido a incêndios florestais

10 set 2019
10h26
  • separator
  • 0
  • comentários

A Malásia enviou meio milhão de máscaras ao Estado de Sarawak e fechou mais de 400 escolas da região, nesta terça-feira, devido ao alastramento de uma névoa resultante de incêndios florestais, disseram autoridades.

Incêndio florestal perto de Banjarmasin, na Indonésia
29/08/2019
Antara Foto/Bayu Pratama S/via REUTERS
Incêndio florestal perto de Banjarmasin, na Indonésia 29/08/2019 Antara Foto/Bayu Pratama S/via REUTERS
Foto: Reuters

A fumaça está se espalhando dos focos na vizinha Indonésia, disseram autoridades malaias, mas a Indonésia refutou a acusação e disse que também há incêndios florestais em outros países da região.

Cingapura disse que a qualidade do ar pode atingir níveis insalubres nas próximas 24 horas se o vento continuar trazendo a poluição, e alertou todas as pessoas que se sentirem mal a buscarem cuidados médicos.

Incêndios florestais estão ardendo em partes da ilha indonésia de Sumatra e da província de Kalimantan, em Bornéu, há semanas, e forçando o governo a enviar milhares de militares e policiais para conter as chamas.

Os vizinhos da Indonésia se queixam com frequência do nevoeiro causado por seus incêndios florestais -- muitas vezes ateados por agricultores que tentam liberar terras para plantações de palmeiras.

As autoridades fecharam 409 escolas de Sarawak, do lado malaio de Bornéu, nesta terça-feira, informou o Departamento de Educação.

A agência nacional de gerenciamento de desastres da Malásia (Nadma) disse ter enviado 500 mil máscaras ao Estado depois que o índice de poluição atmosférica atingiu níveis insalubres nesta terça-feira.

Há anos o sudeste asiático sofre com ondas anuais de fumaça provocadas pelas práticas de cortes e queimadas dos agricultores indonésios, provocando temores a respeito da saúde e do impacto no turismo.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade